O desenho infantil como ferramenta de diagnóstico, percepção ambiental e avaliação de ações de educação ambiental

  • Cibele Schwanke IFRS
  • Caetano Flores de Moura UFRGS

Resumo

Chegamos a um ponto crítico com relação ao uso dos bens naturais, onde a poluição do ar, da água e da terra têm causado degradação da qualidade do ar, escassez de água, infertilidade dos solos e injustiças sociais. Diante desse cenário destaca-se a gestão ambiental, o estudo da percepção ambiental e as ações de educação ambiental para amenizar esse contexto. O presente artigo apresenta os resultados de uma pesquisa de cunho qualitativo realizada a partir do desenvolvimento de ações de educação ambiental em uma comunidade em situação de risco e vulnerabilidade socioambiental. O diagnóstico sobre como as crianças participantes de um projeto percebem a natureza, antes e depois das ações de educação ambiental implementadas, foi realizado na tentativa de compreender as mudanças ocorridas em suas relações com o seu espaço e a natureza. Tendo em vista o público constituído por crianças de 6 a 8 anos, foram utilizados desenhos que posteriormente foram interpretados utilizando a análise de conteúdo. Como resultado da intervenção, identificou-se que os educandos passaram a se perceber como parte da natureza e agentes atuantes em seus espaços e que a relação e a percepção ambiental dos educandos mudou, passando de uma percepção ambiental descontextualizada com a realidade, para uma percepção ambiental contextualizada e participativa do meio ambiente.

Biografia do Autor

Cibele Schwanke, IFRS

Doutora em Ciências. Docente EBTT, tutora PET/MEC, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul.

Caetano Flores de Moura, UFRGS

Tecnólogo em Gestão Ambiental. Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Publicado
2021-07-10
Seção
Artigos