DA SEMIFORMAÇÃO À OMNILATERALIDADE: REFLEXÕES SOBRE UTOPIAS FORMATIVAS E EMANCIPAÇÃO

Palavras-chave: Utopias formativas, Paideia, Bildung, Omnilateralidade, Semiformação.

Resumo

O presente artigo analisa os aspectos formativos de dois grandes ideais de formação que marcaram a história da educação ocidental: a Paideia grega e a Bildung alemã. A partir da perspectiva histórica, tomando como base o conceito de omnilateralidade de Karl Marx (1818-1883) e a teoria da semiformação de Theodor Adorno (1903-1969), resgatamos as origens e os fundamentos filosóficos das utopias formativas, ressaltando sua relevância na constituição de uma educação política de caráter crítico e emancipatório no contexto da contemporaneidade.

Biografia do Autor

Guilherme Prado Roitberg, Universidade Federal de São Carlos

Doutorando em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Mestre em Educação (2018) e graduado em História (2010) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho com especialização em Filosofia (2015). Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas Linguagens, Experiência e Formação da UNESP Rio Claro e do Grupo de Pesquisa Teoria Crítica e Educação da Universidade Federal de São Carlos. Tem como foco as áreas de História e Filosofia da Educação, desenvolvendo pesquisa sobre formação humana (Paideia e Bildung), utopias, eugenia e teoria crítica. Atua como professor no ensino básico e no ensino superior.

Referências

ABBAGNANO, N. Dicionário de filosofia. Tradução Alfredo Bosi. Edição revista e ampliada. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

ADORNO, T. W. Educação e Emancipação. Tradução Wolfgang Leo Maar. 2. ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Editora Paz e Terra. 2000.

ADORNO, T. W. Teoria da Semiformação. In: PUCCI, B.; ZUIN, A. A. S; LASTÓRIA, L. A. C. N. (orgs). Teoria Crítica e inconformismo: novas perspectivas de pesquisa. Campinas: Autores Associados, 2010. p.7-40.

BRAUDEL, F. A longa duração. In: História e ciências sociais. Lisboa: Presença, 1982.

CAMBI, F. História da pedagogia. Tradução de Álvaro Lorencini. São Paulo: Fundação Editora da Unesp, 1999.

CASTANHO, S. Teoria da História e História da Educação: por uma história cultural não culturalista. 1. ed. Campinas: Autores Associados, 2010.

FREITAG, B. R. Entre a Paideia e a Bildung: pistas para uma educação humanística. Revista de Ciências Sociais, Fortaleza, v. 38, n. 1, 2007, p. 106-114.

GOERGEN, P. Educação e valores no mundo contemporâneo. Revista Educ. Soc., Campinas, v. 26, n. 92, p. 983-1011, Especial - out. 2005.

GOMES, L. R. Teoria Crítica, Educação e política. In: PUCCI, B.; ZUIN, A. A. S; LASTÓRIA, L. A. C. N. (orgs). Teoria crítica e inconformismo: novas perspectivas de pesquisa. Campinas: Autores Associados, 2010. p. 197-215.

GROSS, R. Paideia: as múltiplas faces da utopia em pedagogia. 2005. 137 f. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, 2005.

GUR-ZE’EV, I. A formação (Bildung) e a Teoria Crítica diante da educação pós-moderna. In: PUCCI, B.; ALMEIDA, J.; LASTÓRIA, L. A. C. N. (orgs). Experiência formativa & emancipação. São Paulo: Nankin 2009. p. 11-35.

JAEGER, W. Paideia. A formação do homem grego. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

KANT, I. Resposta à pergunta: o que é o iluminismo? In: KANT, I. A paz perpétua e outros opúsculos. Tradução de Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 1990.

LASTÓRIA, L. A. C. N. Utopias somáticas como contra-face da distopia social. In PUCCI, B.; ALMEIDA, J.; LASTÓRIA, L. A. C. N. (orgs). Experiência formativa & emancipação. São Paulo: Nankin, 2009. p.273-303.

MANACORDA, M. A. História da Educação: da Antiguidade aos nossos dias. Tradução de Gaetano Lo Monaco. 3. ed. São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1992.

MARROU, H. História da Educação na Antiguidade. São Paulo: EPU, 1975.

MARX, K.; ENGELS, F. Textos sobre Educação e ensino. Campinas: Navegando, 2011.

MÖLLMANN, A. D. S. Bildung na contemporaneidade: qual sentido? In: V Congresso Internacional de Filosofia e Educação. Maio de 2010, Caxias do Sul. Anais [...] p.1-18. Disponível em: http://www.ucs.br/ucs/tplcinfe/eventos/cinfe/artigos/artigos/arquivos/eixo_tematico4/BildungBildung%20na%20Contemporaneidade%20qual%20o%20sentido.pdf . Acesso em 31 jul. 2017.

OLIVEIRA, J.S. de. A Paideia grega: formação omnilateral em Platão e Aristóteles. Tese (Doutorado em Educação) - Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2015.

PLATÃO. A República. 2. ed., São Paulo: Edipro, 2010a.

PLATÃO. As Leis - Incluindo Epinomis. 2. ed., São Paulo: Edipro, 2010b.

PIRATELI, M. R. O Manifesto do Partido Comunista e a Educação, ou como formar o revolucionário. Revista Acta Scientiarum. Human and Social Science. Maringá, v. 29, n. 2, p. 195-204, 2007.

STENGERS, I. A invenção das ciências modernas. Tradução de Max Altman. São Paulo: Editora 34, 2002.

SUAREZ, R. Nota sobre o conceito de Bildung (formação cultural). Revista Kriterion, v. 46, n. 112. Belo Horizonte, dez. 2005. p.191-198.

Publicado
2019-08-27