FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE GEOGRAFIA PARA A EJA: CENÁRIOS E DESAFIOS À PRÁTICA PEDAGÓGICA

Palavras-chave: Formação de professores de Geografia. Educação de Jovens e Adultos. Ritos de passagem. Pesquisa qualitativa.

Resumo

A formação de professores para a Educação de Jovens e Adultos – EJA tem sido alvo de discussões nas mais diversas instâncias. Nesta perspectiva, evidencia-se a necessidade de compreender, antes de qualquer coisa, como esse processo tem se efetivado no contexto educacional, sobretudo pela formação de professores de Geografia para essa modalidade de ensino. Este artigo objetiva debater e apresentar concepções e percepções sobre a formação em Geografia para a Educação de Jovens e Adultos e suas implicações nas práticas pedagógicas direcionadas a esta modalidade de ensino. A partir de pesquisa realizada no curso de Mestrado, surgem algumas inquietações, em que, além de outras questões, notou-se a existência de “ritos de passagem”, caracterizados pelo processo de tornar-se professor da EJA e seus desdobramentos na prática pedagógica em Geografia. Entende-se que a presente proposta é considerada metodologicamente bibliográfica, a partir da abordagem qualitativa. Nesse sentido, destacamos que, apesar da existência dos referidos ritos de passagem, além das mais diversas características que os compõem, evidenciamos, também, a permanência e desenvolvimento de práticas pedagógicas que não atendem às especificidades do ensinar e aprender Geografia na Educação de Jovens e Adultos. Ainda, apontamos a necessidade de um olhar mais direcionado à modalidade EJA nos cursos de licenciatura em Geografia, objetivando uma maior articulação e integração entre as demandas dos estudantes e a atuação do professor de Geografia na referida modalidade.

Referências

ARROYO, M. G. A educação de Jovens e Adultos em tempos de exclusão. In: ARROYO, M. G. Construção coletiva: Contribuições à Educação de Jovens e Adultos. Brasília: UNESCO, MEC, RAAAB, 2005.

BARCELOS, V.; DANTAS, T. R. (org.). Políticas e práticas na educação de jovens e adultos. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

BRASIL, Ministério da Educação. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF: 20 de dezembro de 1996.

CHALITA, A. L. Ensinando Geografia através do lúdico: uma proposta de atividade significativa. In: SACRAMENTO et al. (org.). Ensino de Geografia: produção do espaço e processos formativos. Rio de Janeiro: consequência, 2015.

COPATTI, C. Livro didático de geografia: da produção ao uso em sala de aula. Élisée, Rev. Geo. UEG – Porangatu, v. 6, n. 2, p. 74-93, jul./dez. 2017.

DANTAS, T. R. A formação de professores em educação de jovens e adultos (eja) na perspectiva da inclusão social. RECC, Canoas, v. 24, n. 1, p. 29-39, mar. 2019.

DANTAS, T. R.; ALMEIDA, V. S. de. A formação nas pesquisas e no cotidiano escolar na EJA. In: DANTAS, T. R.; LAFFIN, M. H. L. F.; AGNE, S. A. A. Educação de jovens e adultos: pesquisa e formação. Curitiba: CRV, 2017, p. 129-141.

DUBAR, C. Socialização: construção das identidades sociais e profissionais. (trad). Andréa Stabel M. da Silva. São Paulo: Martins Fontes, 2005. Disponível em: https://pt.scribd.com/doc/218260622/LIVRO-Claude-Dubar-Socializacao. Acesso em: 3 set. 2017.

JOSSO, M.-C. O caminhar para si: uma perspectiva de formação de adultos e de professores. Entrevistador: Margaréte May Berkenbrock-Rosito. Revista @mbienteeducação, São Paulo, v. 2, n.2, p. 136-139, ago./dez. 2009.

MACEDO, R. S. Pesquisar a experiência: compreender / mediar saberes experienciais. Editora: CRV, 2015, 114 p.

MACHADO, M. M. Formação de professores para EJA: uma perspectiva de mudança. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 2, n. 2-3, p. 161-174, jan./dez. 2008.

MAIA, H. C. A. Saberes e práticas de ensino de Geografia na Educação de Jovens e Adultos. In: NUNES, M. D. dos R.; SANTOS, I. S. dos.; MAIA, H. C. Geografia e ensino: aspectos contemporâneos da prática e da formação docente. Salvador: EDUNEB, 2018, p. 45-66.

MAIA, H. C. A. Entre algemas e liberdade: prática docente e uso do livro didático de Geografia na Educação de Jovens e Adultos – EJA em Serrolândia – BA. 2016. 117 f. Dissertação (Mestrado em Educação de Jovens e Adultos) - Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2016.

MEDEIROS, L. B. (2008). Os Sujeitos da EJA e suas marcas. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/1548-6.pdf. Acesso em: 4 set. 2017.

MORAIS, C. B. de O.; DOURADO, D. L. O. Educação de Jovens e Adultos e as implicações na formação docente em Geografia. In: NUNES, M. D. dos R.; SANTOS, I. S. dos.; MAIA, H. C. Geografia e ensino: aspectos contemporâneos da prática e da formação docente. Salvador: EDUNEB, 2018, p. 319-336.

PORTUGAL, J. F. “Quem é da roça é formiga!”: Histórias de vida, itinerâncias formativas e profissionais de professores de Geografia de escolas rurais. 2013. 352f. Tese (Doutorado em Educação e Contemporaneidade) -. Departamento de Educação, Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2013.

SOARES, L. J. G. O educador de jovens e adultos e sua formação. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 47, p. 83-100, jun. 2008.

SOARES, L. J. G.; SIMÕES, F. M. A formação inicial do educador de jovens e adultos. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 29, n. 2, p. 25-39, 2005.

SOUZA, E. C. de. Ritos de passagem de estudantes de classes multisseriadas rurais nas escolas da cidade. Roteiro, Joaçaba, v. 41, n. 1, p. 219-240, jan./abr. 2016.

VAN GENNEP, A. Los ritos de paso. Madrid: Alianza Editorial, 2008.

VESENTINI, J. W. Geografia crítica e ensino. In: OLIVEIRA, A. U. (org.). Para onde vai o ensino de Geografia? 9. ed., 3. reimpressão – São Paulo: contexto, 2010, p. 30-38.

Publicado
2020-06-30