FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES: O CIRCO EM DEBATE

Palavras-chave: Educação Infantil. Formação Continuada. Circo.

Resumo

O universo circense tornou-se objeto de estudo e foi elemento disparador de inúmeras possibilidades na Educação Infantil. A partir de uma metodologia qualitativa de cunho exploratório, objetivou-se analisar as contribuições, os desafios e as possibilidades de desenvolver um projeto circense no âmbito da Educação Infantil em uma unidade escolar situada no interior de São Paulo. Foi possível identificar professoras em processo de formação, crianças em plenas descobertas, equipe gestora e familiares partícipes da construção dos conhecimentos circenses. Entre os resultados, destaca-se a reflexão sobre diferentes aspectos da dinâmica escolar, além das tomadas de decisão coletivas que fortaleceram os vínculos e transformaram o espaço construído e compartilhado.

Referências

ABRAHÃO, S. R. Valoración de las actividades circenses en la formación del profesorado de educación física: Una propuesta para la transformación social en la escuela. 2011. 485 f. Tese (Doutorado em 2011) – Facultad de Formación del Profesorado, Universidad de Barcelona, Barcelona, 2011. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/tesis?codigo=129692. Acesso em: 6 nov. 2018.

AYOUB, E. Reflexões sobre a Educação Física na Educação Infantil. Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, (supl.4), p. 53-60, 2001. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2594-5904.rpef.2001.139594. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rpef/article/view/139594/134898. Acesso em: 19 mar. 2019.

BORTOLETO, M. A. C. Atividades circenses: notas sobre a pedagogia da educação corporal e estética. Cadernos de Formação RBCE, Brasília, v. 2, n. 2, p. 43-55, 2011. Disponível em: http://revista.cbce.org.br/index.php/cadernos/article/view/1256/651. Acesso em: 3 nov. 2018.

BORTOLETO, M. A. C.; SILVA, E. Circo: educando entre as gretas. Rascunhos, v. 4, n. 2, p. 104-117, 2017. DOI: https://doi.org/10.14393/issn2358-3703.v4n2a2017-07. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/rascunhos/article/view/38646. Acesso em: 4 nov. 2018.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 23 de dezembro de 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Fundamentos para formação do professor da educação básica. Brasília, 1999. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/esbo%E2%80%A1o4.pdf. Acesso em: 30 jun. 2018.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providencias. Diário Oficial da União, Brasília, 26 jun. 2014.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 02/2015, de 1º de julho de 2015. Brasília, Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, seção 1, n. 124, p. 8-12, 2 jul. 2015.

CAMPOS, P. R. I. Ensinar e aprender: coordenação pedagógica e formação docente. Desenhos de Beatriz Infanger Campos. São Paulo: Loyola, 2014.

CHALUH, L. N. Do trabalho coletivo na escola: encontros na diferença. Pro-Posições, Campinas, v. 21, n. 2, p. 207-223, maio/ago. 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-73072010000200013. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-73072010000200013&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 30 jan. 2019.

CHIODA, R. Uma aventura da alegria e do risco: narrativas de um professor de educação física sobre o ensino das atividades circenses. 2018. 94 f. Tese (Doutorado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas-SP, 2018.

CORSI, L. M.; DE MARCO, A.; ONTAÑÓN, T. Educação Física na Educação Infantil: proposta interdisciplinar de atividades circenses. Pensar a Prática, Goiânia, v. 21, n. 4, out./dez. 2018. DOI: https://doi.org/10.5216/rpp.v21i4.51387. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/fef/article/view/51387. Acesso em: 19 mar. 2019.

CUNHA, A. C. Ser professor – bases de uma sistematização teórica. Chapecó-RS: Argos, 2015.

DOMINGUES, I. O coordenador pedagógico e a formação contínua do docente na escola. 1. ed. São Paulo: Cortez, 2014.

EHRENBERG, M. C. A linguagem da cultura corporal sob o olhar de professores da educação infantil. Pro-Posições, Campinas, v. 25, n. 1, p. 181-198, dez. 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73072014000100010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-73072014000100010&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 19 mar. 2019.

FERREIRA, D. L.; BORTOLETO M. A. C.; SILVA, E. Segurança no circo: questão de prioridade. Várzea Paulista: Fontoura, 2014.

GUZZO, M. S. L. Risco como estética, corpo como espetáculo. São Paulo: Annablume, 2009.

LIPPI, B. G. Formação contínua de professores de Educação Física no estado de São Paulo: Quais as políticas em jogo? 2009. 217 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, 2009.

LOPES, D. C.; PARMA, M. Construção de malabares passo a passo. 1. ed. Várzea Paulista: Fontoura, 2016.

MIRANDA, R. de C. F. Do tecido à lona: as práticas circenses no tear da formação inicial em educação física. 2015. 165 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2015.

MIRANDA, R. de C. F.; AYOUB, E. Por entre as brechas dos muros da universidade: o circo como componente curricular na formação inicial em educação física. Revista Portuguesa de Educação, v. 30, n. 2, p. 59-87, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.21814/rpe.8871. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0871-91872017000200004. Acesso em: 20 fev. 2018.

MIRANDA, R. de C. F.; BORTOLETO, M. A. C. O circo na formação inicial em educação física: um relato autoetnográfico. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 40, n. 1, p. 39-45, 2018.

MIRANDA, R. de C. F.; BORTOLETO, M. A. C. Saberes e práticas circenses: analisando os currículos dos cursos de pedagogia das universidades públicas paulistas. Revista Ensaio Geral (UFPA), v. 3, n. 3, p. 79-85, 2014.

NEIRA, M. G. Formação para a docência: o lugar da Educação Física na educação básica. In: SCHNEIDER, O. et al. Educação Física, esporte e sociedade: temas emergentes. São Cristóvão: Editora da UFS, 2008.

ONTAÑÓN, T. B. Circo na escola: por uma educação corporal, artística e estética. 2016. 214 f. Tese (Doutorado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2016.

ONTAÑÓN, T.; DUPRAT, R. M.; BORTOLETO, M. A. C. Educação física e atividades circenses: “o estado da arte”. Revista Movimento, Porto Alegre, v. 18, n. 2, p. 149-168, abr./jun. 2012.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: identidade e saberes da docência In: PIMENTA, S. G. (org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2002. p. 15-34.

REIS, M. E. T.; AFFONSO, S. B. Os programas de formação continuada e sua relação com os saberes docentes. Revista de Educação do Curso de Pedagogia do Campus Avançado de Jataí da Universidade Federal de Goiás, v. 1, n. 3, jan./jul. 2007.

SILVA, E. Aprendizes permanentes: circenses e a construção da produção do conhecimento no processo histórico. In: BORTOLETO, M. A. C.; ONTAÑÓN, T. B.; SILVA, E. Circo: horizontes educativos. Campinas-SP: Autores Associados, 2016. p. 7-26.

SILVA, M. O. P. A análise de necessidades de formação na formação contínua de professores: um caminho para integração escolar. 2000. 286 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-16102001-100517/pt-br.php. Acesso em: 5 nov. 2018.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

TIAEN, M. S. As atividades circenses na formação continuada do professor de Educação Física. 2013. 132 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Corumbá-MS, 2013.

UNESCO. Declaração mundial sobre educação para todos: satisfação das necessidades básicas de aprendizagem. UNESCO: Jomtien, 1990.

WALLON, E. O circo no risco da arte. Trad. Ana Alvarenga, Augustin de Tugny e Cristiane Lage. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

Publicado
2021-03-15