Inclusão escolar de um aluno com deficiência intelectual: um estudo de caso desenvolvido em Portugal

Palavras-chave: Ensino sistematizado, Programa de Ensino Individualizado, Educação Especial, Inclusão, Deficiência Intelectual

Resumo

O Programa de Ensino Individualizado (PEI) é um documento que descreve as medidas de aprendizagem por meio de orientações e desenvolvimento sistematizado de ensino para alunos que necessitam de suporte no processo de ensino e aprendizagem, no qual as metas devem atender às necessidades e singularidades do aluno, beneficiando o processo de inclusão. O presente trabalho teve como objetivo analisar o PEI de um aluno com deficiência intelectual matriculado em uma escola regular de Portugal, de modo a eleger um dos objetivos a ele propostos na área da leitura e escrita e elaborar uma intervenção que atendesse às suas necessidades, avaliando seu desempenho continuamente. Neste trabalho, realizou-se o ensino de reconhecimento de 10 palavras iniciadas com a letra P, ensinadas duas a duas, empregando-se os procedimentos de emparelhamento com o modelo (matching-to-sample [MTS]) e emparelhamento com o modelo com resposta construída (constructed response matching to sample [CRMTS]). Os resultados mostraram que o aluno apresentou avanços parciais no desempenho de habilidades alvo e não houve manutenção na avaliação após um mês. Os dados indicaram que o investimento no planejamento de ensino sistematizado e adequado torna-se de extrema relevância para o processo de ensino e aprendizado e o trabalho multidisciplinar.

Referências

BRASIL. Resolução nº 4, de 2 de outubro de 2009. Institui Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial. Ministério da Educação, Brasília, DF, 2009.

BRASIL. Decreto nº 7.611, de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Brasília, DF, 2011.

COOK, B. G.; TANKERSLEY, M.; LANDRUM, T. J. Determining Evidence-Based Practices in Special Education. Exceptional Children, v. 75, n. 3, p. 365-383, 2009.

CORTEGOSO, A. L.; COSER, D. S. Elaboração de programas de ensino: material autoinstrutivo. Série Apontamentos. São Carlos, SP: Edufscar, 2011.

DE ROSE, J. C. Análise comportamental da aprendizagem de leitura e escrita. Revista Brasileira de Análise do Comportamento, v. 1, p. 29-50, 2005.

DE ROSE, J. C. et al. Aquisição de leitura após história de fracasso escolar: Equivalência de estímulos e generalização. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 5, p. 325-346, 1989.

DE ROSE, J. C. et al. Stimulus equivalence and generalization in reading after matching to sample by exclusion. In: HAYES, S. C.; HAYES, L. J. (Orgs.), Understanding verbal relations, Reno, Nevada: Context Press, 1992. p. 69-82.

DE ROSE, J. C; DE SOUZA, D.; HANNA, E. S. Teaching reading and spelling: Exclusion and stimulus equivalence. Journal of Applied Behavior Analysis, v. 29, p. 451-469, 1996.

DE SOUZA, D. G. et al. Análise comportamental da aprendizagem de leitura e escrita e a construção de um currículo suplementar. In: HÜBNER M. M. C.; MARINOTTI, M. (org.). Análise do comportamento para a educação: contribuições recentes. Santo André, SP: ESETec, 2004. p. 177-203.

DE SOUZA, D. G.; DE ROSE, J. C. Desenvolvendo programas individualizados para o ensino de leitura. Acta Comportamentalia, v. 14, p. 77-98, 2006.

GLAT, R.; REDIG, A. G. Programa educacional especializado para capacitação e inclusão no trabalho de pessoas com deficiência intelectual. Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v. 25, p. 1-26-26, 2017.

GLAT, R.; VIANNA, M. M.; REDIG, A. G. Plano Educacional Individualizado: uma estratégia a ser construída no processo de formação docente. Ciências Humanas e Sociedade em Revista, v. 34, n. 12, p. 79-100, 2012.

KUBO, O.; BOTOMÉ, S. P. Ensino-aprendizagem: uma interação entre dois processos comportamentais. Interação, v. 5, p. 133-171, 2001.

KUPPER, L. A guide to the individualized education program. 2000. Disponível em http://www.ed.gov/parents/needs/speced/iepguide/iepguide.pdf. Acesso em: 19 set. 2019.

LUNA, S. V. Contribuições de Skinner para a educação. In: PLACCO, V. M. N. de S. (org.). Psicologia & Educação: revendo contribuições. São Paulo: Educ, 2000. p. 145-179.

MACKAY, H. A. Stimulus equivalence in rudimentary reading and spelling. Analysis and Intervention in Developmental Disabilities, v. 6, p. 373-387, 1985.

MARINOTTI, M. Processos comportamentais envolvidos na aprendizagem de leitura e escrita. In: HÜBNER, M. M. C.; MARINOTTI, M. (org.). Análise do comportamento para a educação: contribuições recentes. Santo André, SP: ESETec, 2004. p. 201-220.

MATOS, M. A. Análise de contingências no aprender e no ensinar. In: ALENCAR, E.S. (org.). Novas contribuições da Psicologia aos processos de ensino e aprendizagem. São Paulo: Cortez, 2001. p. 143-165.

MORETTI, M.; ALVES, I.; MAXWELL, G. A systematic literature review of the situation of the international classification of functioning, disability, and health and the international classification of functioning, disability, and health-children and youth version in education: A useful tool or a flight of fancy? American Journal of Physical Medicine & Rehabilitation, v. 91, n. 13 Suppl. 1, p. S103–S117, 2012.

ODOM et al. Research in Special Education: Scientific Methods and Evidence-Based Practices. Exceptional Children, v. 71, n. 2, p. 137-148, 2005.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS). Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. Tradução e revisão: Amélia Leitão, 2004, 238p.

PLETSCH, M. D.; GLAT, R. A escolarização de alunos com deficiência intelectual: uma análise da aplicação do Plano de Desenvolvimento Educacional Individualizado. Linhas Críticas, v. 18, n. 35, p. 193-208, 2012.

PORTUGAL. Decreto-Lei nº 3 de 7 de janeiro de 2008, Ministério da Educação, Lisboa, Portugal, p. 154-164, 2008.

PORTUGAL. Decreto-Lei nº 54 de 6 de julho de 2018, Ministério da Educação, Lisboa, Portugal, p. 2918-2928, 2018.

SANCHES, I.; TEODORO, A. Da integração à inclusão escolar: cruzando perspectivas e conceitos. Revista Lusófona de Educação, v. 8, p. 64-83, 2006.

SANCHES-FERREIRA, M. Educação Regular, Educação Especial: uma história de separação. Porto, Edições Afrontamento, 2007.

SANCHES-FERREIRA, M. et al. How individualised are the Individualised Education Programmes (IEPs): an analysis of the contents and quality of the IEPs goals. European Journal of Special Needs Education, v. 28, p. 507-520, 2013.

SANCHES-FERREIRA, M.; SILVEIRA-MAIA, M.; ALVES, S. The Use of the International Classification of Functioning, Disability and Health, Version for Children and Youth (ICF-CY), in Portuguese Special Education Assessment and Eligibility Procedures: The Professionals’ Perceptions. European Journal of Special Education Needs, v. 29, p. 327-343, 2014.

SIDMAN, M. Equivalence Relations and Behavior: a research story. Boston, MA: Authors Cooperative Publishers, 1994.

SIDMAN, M.; TAILBY, W. Conditional discrimination vs. matching to sample: An expansion of the testing paradigm. Journal of the Experimental Analysis of Behavior, v. 37, p. 5-22, 1982.

SKINNER, B. F. Tecnologia de ensino. São Paulo: Edusp, 1972.

SMITH, D. D. Programa Individualizado de Educação Especial. In: SMITH, D. D. Introdução à Educação Especial: ensinar em tempos de inclusão, Porto Alegre: Artmed, 2008, p. 52-75.

STAINBACK, S.; STAINBACK, W. Inclusão: um guia para educadores. Porto Alegre: Artmed, 1999.

STROMER, R.; MACKAY, H. A.; STODDARD, L. T. Classroom Application of stimulus equivalence technology. Journal of Behavioral Education, v. 2, p. 225-256, 1992.

OLIVEIRA, C. C. B.; MANZINI, E. J. Encaminho e perfil do Público-Alvo da Educação Especial de uma Sala de Recursos Multifuncionais: estudo de caso. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 22, p. 559-576, 2016.

THOMPSON, J. V. et al., Conceptualizing Supports and the Support Needs of People with Intellectual Disability. Intellectual and Development Disabilities, v. 47, p. 135–146, 2009.

TANNÚS-VALADÃO, G.; MENDES, E. G. Inclusão escolar e o planejamento educacional individualizado: estudo comparativo sobre práticas de planejamento em diferentes países. Revista Brasileira de Educação, v. 23, p. 1-18, 2018.

VILARONGA, C. A. R.; MENDES, E. G. Ensino Colaborativo para o apoio à inclusão escolar: práticas colaborativas entre os professores. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 95, p. 139-151, 2014.

Publicado
2021-06-15
Como Citar
DIAS MUTO, J. H.; MARSON POSTALLI, L. M.; PIRES SANCHES FERNANDES FERREIRA, M. M. Inclusão escolar de um aluno com deficiência intelectual: um estudo de caso desenvolvido em Portugal. Educação: Teoria e Prática, v. 31, n. 64, p. e21[2021], 15 jun. 2021.