As imagens do “natural”: uma análise da dominação masculina nos livros didáticos de Ciências

  • Tiago Ribeiro Santos Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB)
  • Ana Paula Germano Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB)
  • Gicele Maria Cervi

Resumo

Este artigo faz uma análise de imagens presentes em três livros didáticos de ciências à luz do conceito de dominação masculina desenvolvido por Pierre Bourdieu. Parte-se do pressuposto de que o livro didático, como meio legítimo para disseminação de conhecimentos no universo escolar, ao conter em suas imagens princípios dominantemente masculinos, inculca e reproduz arbitrariedades que este tipo de dominação suscita. Para tanto, inicia-se o artigo relacionando a instituição escolar com o livro didático, também com os sentidos que esta relação supostamente produz. Na seqüência são analisadas duas categorias de imagens, isto é, de atlas do corpo humano e de atividades físicas que tem como elemento principal o corpo masculino e feminino. Por conseguinte, tomando as imagens como meio para discutir as características que apresentam, dentro da lógica de dominação simbolicamente masculina, demonstra-se na materialidade destas formas o modo com que o simbólico se apresenta. As considerações finais apontam para uma problematização do livro didático enquanto instrumento de formação de conceitos e subjetividades escolarizadas.

Biografia do Autor

Tiago Ribeiro Santos, Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB)
Mestrando em Educação pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB)
Ana Paula Germano, Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB)
Mestranda em Educação pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB)
Gicele Maria Cervi
Doutora em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP)
Publicado
2012-11-05
Como Citar
RIBEIRO SANTOS, T.; GERMANO, A. P.; CERVI, G. M. As imagens do “natural”: uma análise da dominação masculina nos livros didáticos de Ciências. Educação: Teoria e Prática, v. 22, n. 41, p. 82-100, 5 nov. 2012.
Seção
Artigos