Escolarização e Biopolítica: O discurso pedagógico produzindo a escola

Autores

  • Mirele Corrêa Fundação Universidade Regional de Blumenau - FURB
  • Gicele Maria Cervi Departamento de Educação da Fundação Universidade Regional de Blumenau, Blumenau, SC – Brasil

DOI:

https://doi.org/10.18675/1981-8106.vol26.n52.p194-211

Resumo

Este artigo trata de uma pesquisa qualitativa de cunho exploratório, que busca problematizar as relações de poder-saber que atravessam o cotidiano escolar e pensar o presente a partir das noções de governamentalidade e sociedade em tempos de biopolítica. Analisa como os discursos pedagógicos vão produzindo e efetivando a escola, e como por meio dela vem se constituindo outras subjetividades com condições de suportar as exigências desse tempo. Problematiza a escola no tempo presente, reconhece que instituição é essa, como ela está atuando no governo dos indivíduos, valorizando a flexibilidade, a participação, a democracia, a postura de polícia no governo de si e dos outros através de mais escolarização. Os estudos bibliográficos embasados em pensadores como Michel Foucault, Gilles Deleuze, Silvio Gallo, entre outros, e um levantamento cartográfico nos documentos oficiais compõe as procedências dessa pesquisa sobre o dispositivo escola. Reconhece que mais escola não é solução para a resolução dos problemas do mundo, é apenas escolarizar mais. Problematizar a escola também, é pensar em práticas de resistência que possam produzir outras estéticas para os escolares. Palavras-chave: Escolarização. Biopolítica. Discurso Pedagógico.

Biografia do Autor

Mirele Corrêa, Fundação Universidade Regional de Blumenau - FURB

Graduada em Pedagogia pela Fundação Universidade Regional de Blumenau - FURB (2012). Discente do Programa de Pós-Graduação - Mestrado em Educação, pela Fundação Universidade Regional de Blumenau, bolsista do Programa de Gratuidade FURB. Integrante do Grupo de Pesquisa Políticas de Educação na Contemporaneidade, da Linha de Pesquisa "Educação, Cultura e Dinâmicas Sociais". Pesquisa as políticas educacionais e seus efeitos de recontextualização no currículo escolar.

Gicele Maria Cervi, Departamento de Educação da Fundação Universidade Regional de Blumenau, Blumenau, SC – Brasil

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade do Vale do Itajaí (1988), mestrado em Educação pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (1998) e doutorado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2010). Atualmente é professor do quadro da Universidade Regional de Blumenau. Professora do Mestrado em Educação - PPGE-FURB. Coordenadora do Grupo de Pesquisa Políticas de Educação na Contemporaneidade. Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: escola, currículo, formação e gestão. Coordenadora Institucional do PIBID-FURB desde 2011 e Vice-Presidente do ForPibid Gestão 2014-2016.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2016-08-30

Como Citar

CORRÊA, M.; CERVI, G. M. Escolarização e Biopolítica: O discurso pedagógico produzindo a escola. Educação: Teoria e Prática, [S. l.], v. 26, n. 52, p. 194–211, 2016. DOI: 10.18675/1981-8106.vol26.n52.p194-211. Disponível em: https://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/educacao/article/view/9620. Acesso em: 19 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos