ANÁLISE DA DINÂMICA AMBIENTAL LITORÂNEA: O CASO DO MUNICÍPIO DE MONGAGUÁ (SP)

  • Simone Emiko SATO UNESP
  • Cenira Maria Lupinacci da CUNHA UNESP

Resumo

As cidades litorâneas brasileiras, de modo geral, dadas suas características morfológicas, apresentam-se potencialmente susceptíveis as alterações ambientais, principalmente àquelas relacionadas ao crescente processo de ocupação territorial referente à urbanização. Neste contexto, o objetivo deste artigo é apresentar o diagnóstico ambiental do município de Mongaguá (SP), através da análise integrada de alguns atributos físicos da paisagem e do uso da terra. Esta análise foi compilada pela Carta Topomorfológica, conforme proposta de Cunha e Mendes (2005), que apresenta unidades espaciais definidas principalmente através das características do relevo. Para cada uma dessas unidades buscou-se integrar as informações referentes à geologia, ao uso da terra e a geomorfologia, com destaque para a morfometria. Através destes procedimentos, foi possível verificar que, em Mongaguá (SP), o impacto produzido pelo uso da terra é o elemento determinante no desencadeamento e dinamização de processos morfogenéticos, dinamizando a fragilidade potencial do ambiente ao sobrepor-se a intrínseca fragilidade apresentada pela área em questão, principalmente derivada de suas condições de relevo e litologia. Assim, o planejamento adequado das cidades, em especial as litorâneas, deve considerar os aspectos naturais e os impactos produzidos pelo uso da terra, visando à compreensão da dinâmica ambiental e as conseqüências geradas pela ocupação destas áreas. Palavras-Chave: Geomorfologia. Morfometria. Carta topomorfológica. Litoral. Dinâmica ambiental.
Publicado
2008-10-16
Seção
Artigos