REFLEXÕES SOBRE EDUCAÇÃO E ENSINO DA ARTE A PARTIR DE MARX E BOURDIEU

Palavras-chave: Marx, Bourdieu, Educação, Ensino da Arte

Resumo

As reflexões teóricas apresentadas no presente artigo foram elaboradas a partir da nossa incursão nos estudos sobre os fundamentos sociopolíticos e econômicos da educação, mais especificamente do estudo da produção teórica de Pierre Bourdieu e Karl Marx, pensadores importantes na/para a construção de um pensamento crítico. Parte-se da premissa de que as contribuições desses estudiosos são fundamentais para dois grandes campos de conhecimentos, a Educação e o Ensino da Arte, trazendo aporte para se compreenderem o processo histórico e os enfrentamentos sofridos por esses campos, além de pensar processos de fissuras e resistências. O artigo discute também os elementos que dão base para a perspectiva contemporânea na qual o Ensino da Arte se ancora, ao pensar a formação de sujeitos mais humanizados e ao valorizar e inserir nas práticas as diferentes produções intelectuais, culturais, estéticas, artísticas, como não hierárquicas, uma vez que essa perspectiva compreende que diferentes sujeitos, de diferentes contextos e culturas, produzem conhecimentos e podem ser, estar e intervir no mundo de maneira crítica, ativa, artística e estética.

Referências

BARBOSA, A. M. A imagem do Ensino da Arte. São Paulo: Perspectiva, 2005.

BARBOSA, A. M. Ensino da Arte: Memória e História. São Paulo: Perspectiva, 2008.

BARBOSA, A. M. Tópicos Utópicos. Belo Horizonte: C/Arte, 1998.

BOURDIEU, P. A economia das trocas simbólicas. 6. ed. São Paulo: Perspectiva, 2005.

BOURDIEU, P. A escola conservadora: as desigualdades frente à escola e à cultura. In: NOGUEIRA, M. A., CATANI, A. Escritos de Educação. 9. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2007a.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Rio de Janeiro/Lisboa: Bertrand Brasil S.A., 1989.

BOURDIEU, P. Os três estados do capital cultural. In: NOGUEIRA, Maria Alice, CATANI, Afrânio. Escritos de Educação. 9. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2007b.

BOURDIEU, P.; DARBEL, A. O amor pela arte: os museus de arte na Europa e seu público. São Paulo: Zouk, 2003.

BRASIL. Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: D.O.U. 1996.

EFLAND, A. D. Cultura, Sociedade, Arte e Educação num Mundo Pós-Moderno. In: GUINSBURG, J., BARBOSA, A. M (org.). O Pós-modernismo. São Paulo: Perspectiva, 2008.

LIBÂNEO, J. C. Democratização da escola pública: a pedagogia crítica-social dos conteúdos. 8. ed. São Paulo: Loyola, 1989.

LUCKESI, C. C. Filosofia da educação. 6. ed. São Paulo: Cortez, 1993.

MARX, K. Manuscritos Econômicos-Filosóficos. São Paulo: Editora Martin Claret, 2006.

MARX, K. Marx e Engels: textos sobre educação e ensino. Tradução de Rubens Eduardo Frias.5. ed. São Paulo: Centauro, 2004.

MARX, K.; ENGELS, F. A Ideologia Alemã. São Paulo: Hucitec, 1987.

MARX, K.; ENGELS, F. Exposição nas Seções dos Dias 10 e 17 de agosto de 1869 no Conselho Geral da AIT. In: MARX, K.; ENGELS, F. Textos sobre educação e ensino. São Paulo: Centauro, 2004.

NOGUEIRA, M. A., NOGUEIRA, C. M. M. Bourdieu & a Educação. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

SCHRAMM, M. L. K. As tendências pedagógicas e o ensino-aprendizagem da arte. In: PILLOTTO, S. S. D.; SCHRAMM, M. de L. K. (org.). Reflexões sobre o ensino das artes. Joinville: Ed. Univille, 2001.

VIANA, N. A esfera artística: Marx, Weber, Bourdieu e a Sociologia da Arte. Porto Alegre: Zouk, 2007.

VIDAL, F. S. L. Um olhar caleidoscópico nas/para as formações estéticas/culturais de professores(as): experiências e construções de identidades docentes estéticas no curso de Pedagogia da UFPE. 2016. 970 f. Tese (Doutorado em Educação) – Centro de Educação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2016.

Publicado
2020-08-28