A Educação Infantil (em tempo) integral na produção acadêmica dos programas de Pós-Graduação em Educação

Palavras-chave: Educação Infantil. Tempo Integral. Produções Acadêmicas.

Resumo

Este artigo objetiva buscar, analisar e sintetizar pesquisas desenvolvidas no país e, a partir desse movimento, traçar um panorama a respeito da educação infantil em tempo integral nas diversas experiências que atravessam as instituições brasileiras, bem como identificar novas possibilidades de pesquisas posteriores. Por meio de busca no Catálogo de Teses e Dissertações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e na Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD) foram selecionadas 22 dissertações de mestrado publicadas entre 2008 e 2018. Utilizaram-se a revisão integrativa de literatura como método e o software NVivo para a análise dos dados. Os resultados apontam obstáculos na implementação das políticas voltadas para a educação infantil em tempo integral, que se refletem na materialização das experiências em diferentes realidades no que diz respeito a carência de recursos financeiros e materiais, inadequação da infraestrutura, inespecificidade das propostas pedagógicas, fragmentação da jornada em turnos e premência de formação profissional, tencionando uma concepção mais ampla de educação com qualidade socialmente referenciada. Conclui-se que o atendimento em tempo integral vem sendo utilizado como estratégia de enfrentamento da pobreza e das desigualdades sociais no intuito de promover equidade para a população infantil socioeconomicamente desfavorecida.

Referências

ALVES, G. M. O Projeto Horizonte 2020 na Rede Jesuíta de Educação: construindo caminhos para inovação na Educação Infantil do Colégio Anchieta. São Leopoldo. 2018. 145 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos. São Leopoldo, 2018.

ARANHA. M. G. A educação infantil em jornada de tempo integral no município de São Mateus-ES: o currículo em questão. 2018. 77 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ciência, Tecnologia e Educação) – Faculdade Vale do Cricaré. São Mateus, 2018.

ARAÚJO, V. C. de. A brincadeira na instituição de educação infantil em tempo integral: o que dizem as crianças? 2008. 137 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Juiz de Fora. Juiz de Fora, 2008.

ARAÚJO, V. C. de; AUER, F.; NEVES, K. C. P. das. Educação infantil em tempo integral: “mérito da necessidade” ou direito? EccoS – Revista Científica, São Paulo, n. 50, jul./set. 2019.

ARAÚJO, V. C. de; PEIXOTO, E. M. Tempo integral na educação infantil: uma nova arte de governar crianças?. In: ARAÚJO, V. C. de (org.). Infâncias e educação infantil em foco. 1. ed. Curitiba: CRV, 2017. p. 75-92.

ARAÚJO, V. C. de; TAQUINI, R.; NEVES, K. C. P. das; AUER, F.; SANTOS, M. P. dos. Análise descritiva em âmbito nacional das matrículas de educação infantil em tempo integral (2007 a 2017). In: X ENCONTRO ESTADUAL DA ANPAE-ES/ IV REUNIÃO ESTADUAL DA ANFOPE, 2019, Vitória. Anais [...]. p. 1-5, 2019.

BARBOSA, M. C. S.; RICHTER, S. R. S.; DELGADO, A. C. C. Educação Infantil: tempo integral ou educação integral? Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 31, n. 57, p. 95-119, jul./set. 2015.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BERNARDES, A. A. A formação continuada em serviço dos professores da Educação Infantil na escola de tempo integral da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande/MS. 2016. 120 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Católica Dom Bosco. Campo Grande, 2016.

BOTELHO, L. L. R.; CUNHA, C. de A.; MACEDO, M. O método da revisão integrativa nos estudos organizacionais. Gestão e Sociedade, Belo Horizonte, v. 5, n. 11, p. 121-136, maio/ago. 2011.

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Brasília, 1988.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEB, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, 1996.

BRASIL. A educação infantil nos países do MERCOSUL: análise comparativa da legislação. Brasília: MEC/SEB, 2013.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, 2014.

CASSINS, B. C. Um projeto construtivista na educação infantil em tempo integral. 2016. 212 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2016.

CORDEIRO, A. T. A big friendly giant in Brazil? Children and the closed street…interplaying with a good-enough urban policy. 2019. 240 f. Tese (Doutorado em administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2019.

CÔRREA, T. A. Proposta pedagógica de tempo integral na educação infantil: análise de uma realidade. 2017. 147 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Oeste do Pará. Pará, 2017.

COUTO, G. R. Gestão pedagógica na educação infantil de tempo integral: desafios e possibilidades de planejamento compartilhado. 2017. 148 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Maria. Rio Grande do Sul, 2017.

FERNEDA, E. Recuperação de informação: análise sobre a contribuição da ciência da computação para a ciência da informação. 2003. 147 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação e Documentação) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.

GOMES, N. R. do N. O Programa “Educação em tempo integral” em uma escola de educação infantil no município de Vitória – ES. 2017. 191 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória, 2017.

JUNCKES, C. R. G. Escola de tempo integral e o direito à infância: uma análise da produção acadêmica (1988-2014). 2015. 241 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina. Santa Catarina, 2015.

LAVILLE, C.; DIONNE, J. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Tradução de Heloísa Monteiro e Francisco Settineri. Porto Alegre: Artmed; Belo Horizonte: Editora UFMG, 1999.

LIMA, D. Z. de O. Políticas públicas de educação infantil: uma análise da democratização no município de Londrina. 2018. 214 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Londrina. Londrina, 2018.

MAFFI, M. M. D. Políticas de educação infantil e escola em tempo integral: entre a formulação legal e a prática cotidiana. 2009. 150 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Passo Fundo. Passo Fundo, 2009.

MARQUES, L. de S. Educação infantil na perspectiva da educação integral em Porto Velho – RO: possibilidades e constatações críticas. 2016, 127 f. Dissertação (Mestrado em educação) – Universidade Federal de Rondônia, Porto Velho, 2016.

MATTOS, Z. S. Escola de educação infantil em tempo integral da rede pública municipal de Juiz de Fora: a perspectiva da infância. 2009. 170 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Petrópolis. Petrópolis, 2009.

MENDES, K. D. S.; SILVEIRA, R. C. de C. P.; GALVAO, C. M. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto – Enferm., Florianópolis, v. 17, n. 4, p. 758-764, dez. 2008.

OLIVEIRA, C. E. de A. Temporalidades no/do cotidiano da educação infantil. 2012. 158 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Juiz de Fora. Juiz de Fora, 2012.

OLIVEIRA, T. L. de. Educação Infantil em tempo integral nos municípios de Serra e Vila Velha: os planos municipais em destaque. 2016. 162 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória, 2016.

PENTEADO, J. F. G. A escola e a educação para a infância numa perspectiva de educação integral. 2018. 115 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2018.

PEREIRA, J. R. A coordenação pedagógica na educação infantil: o trabalho observado e as perspectivas da coordenadora e das professoras de uma creche municipal. 2014. 272 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014.

PESSOA, P. dos S.; KLUMPP, C. F. B.; FERNANDES, J. da S. G.; ANDRADE, M. S. de. Programa mais educação: revisão de literatura. Psicol. Educ., São Paulo, n. 45, p. 87-94, dez. 2017.

RODRIGUES, J. B. M. A construção de uma escola de educação infantil de tempo integral: “Cavando os achadouros da infância”. 2012. 147 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul. Ijuí, 2012.

SANTOS, M. A. R. da C. A educação em tempo integral no município de Vitória: a experiência do Brincarte. 2012. 165 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória, 2012.

SILVA, P. R. S. A judicialização na educação infantil entre ênfases, encaminhamentos e solicitações no município de Sorocaba/SP. 2018. 221f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos. Sorocaba, 2018.

SOUZA, A. D. de. Autoformação e registro docente: a educação infantil como tempo e espaço de encontro. 2016. 103 f. Dissertação (Mestrado em Educação nas Ciências) – Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Ijuí, 2016.

SOUZA, E. A. M. Prática pedagógica de qualidade na educação infantil em escola de tempo integral: visão de professores. 2012. 147 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Brasília, Brasília, 2012.

Publicado
2022-06-29
Como Citar
AUER, F.; TAQUINI, R.; ARAÚJO, V. C. DE. A Educação Infantil (em tempo) integral na produção acadêmica dos programas de Pós-Graduação em Educação. Educação: Teoria e Prática, v. 32, n. 65, p. e22[2022], 29 jun. 2022.