Refletindo sobre a morte, o morrer e os mortos com estudantes do ensino fundamental

Palavras-chave: Morte. Morrer. Ensino de história. Ensino de Filosofia. Ensino Fundamental.

Resumo

O objetivo deste estudo é apresentar uma experiência exitosa desenvolvida nas disciplinas de história e filosofia com estudantes do 7º ano do ensino fundamental para a discussão da morte, do morrer e dos mortos. Participaram da intervenção 32 estudantes matriculados no 7º ano do ensino fundamental de uma escola privada em um município do interior do estado de São Paulo. Primeiramente, os alunos refletiram sobre os conceitos de finitude e existência, sendo convidados a realizar pesquisas sobre como as diferentes religiões compreendem a morte e os principais rituais fúnebres e de elaboração do luto realizados nas diferentes culturas. A fim de aproximá-los do trabalho etnográfico, realizaram duas visitas ao cemitério da cidade, fazendo registros a partir de entrevistas e fotografias. O projeto foi finalizado com a organização de uma mostra sobre a morte, os mortos e o morrer, com a participação de toda a comunidade escolar. Espera-se que esta intervenção possa ser disparadora de ações conduzidas na escola com vistas ao cotejamento deste importante tema para a formação dos estudantes, sobretudo em tempos nos quais tal discussão emerge de modo onipresente nos processos educacionais e de socialização.

Referências

ALVES, E. G. R.; KOVÁCS, M. J. Morte de aluno: luto na escola. Psicologia Escolar e Educacional, Maringá, v. 20, n. 2, p. 403-406, 2016.

ARIÈS, P. O homem diante da morte. São Paulo: Editora Unesp, 2014.

AUGRAS, M. A segunda-feira é das almas. Rio de Janeiro: Pallas, 2013.

BULFINCH, T. O livro de ouro da mitologia: histórias de deuses e heróis: a idade da fábula. 19. ed. Rio de Janeiro: Ediouro, 2001.

DOMINGOS, B.; MALUF, M. R. Experiências de perda e de luto em escolares de 13 a 18 anos. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 16, n. 3, p. 577-589, 2003.

FRONZA, L. P. et al. O tema da morte nas escolas: possibilidades de reflexão. Barbarói, Santa Cruz do Sul, n. 43, p. 48-71, 2015.

GIARETTON, D. W. et al. A escola ante a morte e a infância: (des)construção dos muros do silêncio. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 25, e250035, 2020.

KOVÁCS, M. J. Educação para a morte: temas e reflexões. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003.

KOVÁCS, M. J. Educação para a morte. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, DF, v. 25, n. 3, p. 484-497, 2005.

KÜBLER-ROSS, E. On death and dying. New York: Scribner, 1969.

MORELLI, A. B.; SCORSOLINI-COMIN, F.; SANTOS, M. A. Impacto da morte do filho sobre a conjugalidade dos pais. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 9, p. 2711-2720, 2013.

OLIVEIRA-CARDOSO, É. A.; SANTOS, M. A. Grupo de educação para a morte: uma estratégia complementar à formação acadêmica do profissional de saúde. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 37, n. 2, p. 500-514, 2017.

OLIVEIRA-CARDOSO, É. A. et al. The effect of suppressing funeral rituals during the covid-19 pandemic on bereaved families. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 28, art. e3361, 2020.

RODRIGUES, I. S. et al. Contribuições da terapia cognitivo-comportamental para a compreensão do luto. Revista Ciência & Saúde, Itajubá, v. 8, n. 4, p. 19-24, 2018.

SOUZA, J. F. V. A (in)existência de Deus: diálogos improváveis e impertinentes entre Espinosa, Nietzsche e Sartre. Florianópolis: Qualis, 2019.

TEIXEIRA, L. C. Morte, luto e organização familiar: à escuta da criança na clínica psicanalítica. Psicologia Clínica, Rio de Janeiro, v. 18, n. 2, p. 63-76, 2006.

VENDRUSCOLO, J. Visão da criança sobre a morte. Medicina, Ribeirão Preto, v. 38, n. 1, p. 26-33, 2005.

Publicado
2022-06-29
Como Citar
SILVA, A. A. DA; SCORSOLINI-COMIN, F. Refletindo sobre a morte, o morrer e os mortos com estudantes do ensino fundamental. Educação: Teoria e Prática, v. 32, n. 65, p. e31[2022], 29 jun. 2022.