Avaliação de sintomas de estresse em professores universitários: considerações sobre a qualidade de vida no fazer docente

  • Helena de Ornellas Sivieri Pereira Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Marcela Cunha do Amaral Pontifícia Universidade Católica de Campinas
  • Fabio Scorsolini-Comin Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Palavras-chave: , Estresse, Professores universitários, Estresse ocupacional, Qualidade de vida.

Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar a presença de sintomas de estresse em uma amostra de professores de uma universidade privada do interior do Estado de Minas Gerais. Participaram voluntariamente 147 professores de diferentes cursos das áreas de Humanas, Saúde, Educação, Tecnológica e Veterinária. Foi aplicado individualmente o Inventário de Sintomas de Stress para Adultos de Lipp (ISSL). Os resultados indicaram que 55,1% dos professores não mostraram sintomas de estresse. Do restante (44,9%), o estresse se apresentou em grau moderado, estando a maioria na fase de resistência. Os sintomas psicológicos apareceram em porcentagem maior que os físicos e, em alguns casos, associados aos físicos. Sugere-se a continuação das investigações que identifiquem os estressores no trabalho docente em nível superior, com a perspectiva de elaborar programas para a diminuição desses sintomas e, consequentemente, para a promoção de uma melhor qualidade de vida.

Biografia do Autor

Helena de Ornellas Sivieri Pereira, Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Professora da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM). Doutora em Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP). Mestre em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas.
Marcela Cunha do Amaral, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Mestre em Psicologia Social pela Pontíficia Universidade Católica de Campinas. Graduada em Psicologia pela UNIUBE.
Fabio Scorsolini-Comin, Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Professor da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM). Psicólogo, Mestre e Doutorando em Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP). Especialista em Administração Escolar e em Supervisão Educacional. Pesquisador do Núcleo de Ensino e Pesquisa em Psicologia da Saúde (NEPPS-CNPq).
Publicado
2011-12-07
Seção
Artigos