ANDANÇAS: PESQUISA E FORMAÇÃO COMO PROCESSUALIDADE SUBJETIVANTE

Palavras-chave: Formação, Experimentação, Corpo, Subjetividade

Resumo

Este trabalho busca explorar as relações entre corpo, subjetividade e formação a partir de alguns aspectos que envolvem “o fazer uma pesquisa” cuja realização ocorreu entre 2013 e 2015. A cartografia (DELEUZE; GUATTARI, 2011; PASSOS et all, 2009; ROLNIK, 1989), enquanto método eleito por nós, buscou acompanhar encontros com corpos, danças, contato improvisação, biodança, vidas em formação: “Dança e expressão corporal” atividade cartografada que integrou, no segundo semestre de 2013, o conjunto de atividades do eixo pedagógico “Interações Culturais e Humanísticas” do Setor Litoral da Universidade Federal do Paraná. Contribuições para o campo da Educação através das intensidades mobilizadas no percurso de produzir uma pesquisa: processo de formação de um pesquisador apresentando elementos menores, minoritários; não o ensino, a representação ou a descoberta do mundo, mas uma pesquisa, um movimento, uma inquietação, uma invenção de mundos, agenciamentos do desejo. Neste sentido, este texto se propõe a) indicar alguns encontros que ressoaram com o corpo do pesquisador e b) explorar os efeitos que, em intensidade, mobilizaram e continuam mobilizando um processo de formação. Palavras-chave: Formação. Experimentação. Corpo. Subjetividade.

Biografia do Autor

Juliano dos Santos, Universidade Federal do Paraná
Mestre em Educação em Ciências e em Matemática. Universidade Federal do Paraná - Setor Litoral.
Kátia Maria Kasper, Universidade Federal do Paraná
Doutora em Educação. Universidade Federal do Paraná - Departamento de Educação.
Publicado
2016-12-12
Seção
Artigos