INCLUSÃO ESCOLAR NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONCEPÇÕES E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS

Palavras-chave: Educação Especial, Educação de Jovens e Adultos, Prática Pedagógica.

Resumo

O estudo teve como objetivo geral analisar as concepções de professores sobre a inclusão escolar e as implicações na prática pedagógica junto ao público-alvo da educação especial (PAEE), no contexto da Educação de Jovens e Adultos (EJA), e, como objetivos específicos, descrever as concepções de professores da EJA e caracterizar a organização e a atuação docente com um aluno PAEE. A coleta de dados foi realizada em uma escola municipal do interior do estado de São Paulo por meio de observação, questionário e entrevista junto a seis professores atuantes em uma sala de aula com a matrícula de um aluno com autismo. Os resultados indicam que, embora considerem válida a inclusão, os professores não se posicionam como sujeitos envolvidos nesse processo, havendo a indicação de necessidades formativas e de dificuldades relacionadas com a interação. Considera-se relevante a realização de estudos que contemplem outros aspectos relacionados à prática de professores na EJA junto ao PAEE, abrangendo a articulação do professor de educação especial e a possibilidade de colaboração entre esses professores.

Referências

ANJOS, H. P. dos; ANDRADE, E. P. de; PEREIRA, M. R. A inclusão escolar do ponto de vista dos professores: o processo de constituição de um discurso. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, v. 14, n. 40, p. 116-129, abr. 2009. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782009000100010&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 24 jul. 2018.

BRASIL. Casa Civil. Decreto nº 7.611/11. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Brasília, DF, 2011. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7611.htm. Acesso em: 10 jun. 2018.

BRASIL. Casa Civil. Lei nº 9.394/ 96. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/Ccivil_03/leis/L9394.htm. Acesso em: 9 jul. 2018.

BRASIL. Casa Civil. Lei nº 13.632/18. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional), para dispor sobre educação e aprendizagem ao longo da vida. Brasília, DF, 2018. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/Ccivil_03/_Ato2015-2018/2018/Lei/L13632.htm#art1. Acesso em: 9 jul. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CEB 4/2009. Institui Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial. Diário Oficial da União, Brasília, DF, Seção 1, p. 17, 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rceb004_09.pdf. Acesso em: 29 jul. 2018.

CAMPOS, J. A. de P. P. O Aluno com Deficiência Intelectual na Educação de Jovens e Adultos: contexto e percurso escolar. In: ALMEIDA, M. A.; MENDES, E.G. (org.). A Escola e o Público-alvo da Educação Especial: apontamentos atuais. São Carlos: Marquezine & Manzini: ABPEE, 2014. p. 17-34.

CARNEIRO, R. U. C.; UEHARA, F. A inclusão de alunos público alvo da educação especial no ensino fundamental i através do olhar dos professores. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 11, n. esp. 2, p. 911-934, set. 2016. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/8934/5876. Acesso em: 17 ago. 2018.

DALL’ACQUA, M. J. C. Alunos com Deficiência na Educação de Jovens e Adultos: Reflexões acerca de uma tendência e seus desafios. In: MENDES, E. G.; ALMEIDA, M. A. (org.). Dimensões Pedagógicas nas Práticas de Inclusão Escolar. Marília: ABPEE, 2012. p. 85-95.

DI PIERRO, M. Cl.; JOIA, O.; RIBEIRO, V. M. Visões da Educação de Jovens e Adultos no Brasil. Cadernos Cedes, ano XXI, n. 55, nov. 2001, p. 58-77. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v21n55/5541. Acesso em: 17 set. 2016.

FRANCO, M. A. do R. S. Prática pedagógica e docência: um olhar a partir da epistemologia do conceito. Rev. Bras. Estud. Pedagog., Brasília, v. 97, n. 247, p. 534-551, dez. 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-66812016000300534&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 29 jun. 2018.

FRANCO, M. L. P. B. Análise de conteúdo. 2. ed. Brasília: Líber Livros Editora, 2005.

FREIRE, P. Ação cultural para a liberdade. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

HAAS, C. Educação de jovens e adultos e educação especial: a (re)invenção da articulação necessária entre as áreas. Educação, Santa Maria, v. 40, n. 2, p. 347-360, ago. 2015. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/9038/pdf. Acesso em: 2 nov. 2017.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo Escolar da Educação Básica. Sinopse Estatística da Educação Básica. Brasília, 2018. Disponível em: http://inep.gov.br/sinopses-estatisticas-da-educacao-basica. Acesso em: 3 maio 2018.

MARTINS, A. D. F.; MONTEIRO, M. I. B. Alunos autistas: análise das possibilidades de interação social no contexto pedagógico. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v.21, n.2, p. 215-224, ago. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-85572017000200215&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 17 ago. 2018.

MENDES, E. G.; VILARONGA, C. A. R.; ZERBATO, A. P. Ensino colaborativo como apoio à inclusão escolar: unindo esforços entre educação comum e especial. São Carlos: EDUFSCar, 2014.

MENEZES, A.; CRUZ, G. de C. Estratégias de formação de professores para a inclusão escolar de alunos com autismo. In: GLAT, R.; PLETSCH, M. D. Estratégias educacionais diferenciadas para alunos com necessidades especiais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2013. p.107-142.

OLIVEIRA, I. B. de. Reflexões acerca da organização curricular e das práticas pedagógicas na EJA. Educ. rev. [online]. Curitiba, n. 29, p. 83-100, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602007000100007&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 23 jun. 2017.

SIEMS, M. E. R. Educação de jovens e adultos com deficiência: saberes e caminhos em construção. Educ. foco, Juiz de Fora, v. 16, n. 2, p. 61-79, 2012. Disponível em: http://www.ufjf.br/revistaedufoco/files/2012/08/Texton-031.pdf. Acesso em: 2 nov. 2017.

VÓVIO, C. L. Formação de educadores de jovens e adultos: a apropriação de saberes e de práticas conectadas à docência. In: DALBEN, A. et al. (org.). Convergências e tensões no campo da formação do trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 60-77.

Publicado
2020-08-28