A tuberculose e as perspectivas de promoção da saúde nas escolas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18675/1981-8106.v33.n.66.s17196

Palavras-chave:

Escola. Tuberculose. Promoção da Saúde.

Resumo

Este artigo de revisão integrativa, cujo objetivo foi desvendar se a escola é lócus de promoção da saúde para o enfrentamento da tuberculose, realizou pesquisas nos portais Google Acadêmico, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e Scientific Electronic Library Online (SciELO). Depois de uma criteriosa avaliação, foram identificados cinco artigos que atendiam ao objeto do estudo e ao lócus pesquisado. A análise sequencial revelou que somente dois deles utilizaram-se de estratégias de educação para a saúde dinâmicas com base em metodologias ativas, envolvendo os alunos de forma significativa e implicada com aquisição de conhecimentos sobre a tuberculose e melhorias para a qualidade de vida, tendo em vista a promoção da saúde. Conclui-se que a educação para a saúde desenvolvida no espaço escolar concede pouca ênfase para a promoção da saúde, contudo a escola é um importante cenário de promoção da saúde que pode ser mais bem explorado para ações envolvendo a tuberculose, com a participação dos alunos e da comunidade.

Referências

ASSIS, S. S.; ARAÚJO-JORGE, T. C. O que dizem as propostas curriculares do Brasil sobre o tema saúde e as doenças negligenciadas? aportes para a educação em saúde no ensino de ciências. Ciênc. Educ. Bauru, v. 24, n. 1, p. 125-140, 2018.

BATALLA, E.; MOROSINI, L. Atenção aos esquecidos. Radis. v.124, p. 9-16, jan. 2013. Disponível em: www.ensp.fiocruz.br/radis. Acesso em: 30 ago. 2022.

BERTOLOZZI, M. R.; NICHIATA, L. Y. I.; TAKAHASHI, R. F.; CIOSAK, S. I.; HINO, P. DO VAL, L. F.; GUANILLO, M.C.T.U.; PEREIRAS, E. G. Os conceitos de vulnerabilidade e adesão na saúde coletiva. Rev Esc Enferm, USP, v. 43, No. Espe2, p. 1326-30, 2009.

BRASIL. Decreto nº 6.286, de 5 de dezembro de 2007. Institui o Programa Saúde na Escola – PSE, e dá outras providências. Brasília: Ministério da Saúde. 2007. 3p. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6286.htm. Acesso em: 26 set. 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Brasil Livre da Tuberculose: Plano Nacional pelo Fim da Tuberculose como Problema de Saúde Pública: estratégias para 2021-2025. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. – Brasília: Ministério da Saúde. 2021a. Disponível em: Brasil livre da tuberculose - Plano nacional pelo fim da tuberculose como problema de saúde pública: estratégias para 2021-2025 — português (Brasil) (www.gov.br). Acesso em: 13 set. 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Doenças tropicais negligenciadas: 30 de janeiro – Dia mundial de combate às Doenças tropicais negligenciadas. Boletim Epidemiológico. Secretaria de Vigilância em Saúde. Doenças tropicais negligenciadas – Brasília: Ministério da Saúde. 2021b. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/centrais-de- conteudo/publicacoes/boletins/epidemiologicos/especiais/2021/boletim_especial_doencas_negligenciadas.pdf. Acesso em: 26 set. 2022.

BRASIL. Política Nacional de Promoção da Saúde: PNPS: Anexo I da Portaria de Consolidação nº 2, de 28 de setembro de 2017, que consolida as normas sobre as políticas nacionais de saúde do SUS. Brasília: MS. 2018. 40 p. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/. Acesso em: 9 jul. 2022.

BRASIL. Portaria Interministerial No 1.055, de 25 de abril de 2017. Redefine as regras e os critérios para adesão ao Programa Saúde na Escola – PSE por estados, Distrito Federal e municípios e dispõe sobre o respectivo incentivo financeiro para custeio de ações. Ministério da Saúde. 2017. 6p. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-2.141-de-14-de-agosto-de-2020-272747285. Acesso em: 26 set. 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Caderno do gestor do PSE / Ministério da Saúde. Ministério da Educação. Brasília: Ministério da Saúde. 2015. 68 p. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs /publicacoes/caderno_gestor_pse.pdf. Acesso em: 13 set. 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Projeto Promoção da Saúde. As cartas da Promoção da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde. 2002, 56 p. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cartas_promocao.pdf. Acesso em: 15 set. 2022.

BUSS, P. M. Promoção da saúde e qualidade de vida. Ciênc. Saude Colet, v. 5, n. 1, p. 163-177. 2000.

BUSS, P. M.; CARVALHO, A. I. Desenvolvimento da Promoção da Saúde no Brasil últimos vinte anos (1988-2008). Ciênc. Saúde Colet, v. 14, n. 6, p. 2305-2316, 2009.

CANDEIAS, N. M. F. Conceitos de educação e promoção em saúde: mudanças individuais e organizacionais. Rev Saúde Pública, v. 31, n. 2, p. 209-213,1997.

FREIRE, P. Educação e Mudança. São Paulo: Paz e Terra. 2011.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra. 2002.

MENDES, K. D. S.; SILVEIRA, R. C. C. P.; GALVÃO, M. C. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Context – Enferm, v. 17, n. 4, p.758-764, 2008.

MOREIRA, H; CALEFFE, L. G. Metodologia da pesquisa para o professor pesquisador. Rio de Janeiro: Lamparina. 2008.

NUTBEAM, D. Health promotion glossary. Health promotion International. OMS. v. 13, n. 4, p. 349-364, 1998. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/45152457. Acesso em: 30 nov. 2022.

OLIVEIRA, L. M. P. Estratégias educativas para a redução do abandono do tratamento da Tuberculose em ambiente não formal de ensino. 2017. Tese (Doutorado em Ensino em Biociências e Saúde) - Instituto Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2017.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE. The end TB Strategy. 2017. Disponível em: https://www.who.int/publications/i/item/WHO-HTM-TB-2015.19. Acesso em: 13 out. 2022.

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE (OPAS). Escolas Promotoras de Saúde - Fortalecimento da Iniciativa Regional. Estratégias e linhas de ação 2003-2012. Pan Am Health Organ, 2006.

PEREIRA, A. G.; ESCOSTEGUY, C. C.; VALENCIA, L. I. O. A.; MAGALHÃES, M. A. F. M.; MEDRONHO, R. A. Análise espacial de casos de tuberculose e associação com fatores socioeconômicos: uma experiência no município do Rio de Janeiro. Cad. Saúde Colet, v. 26, n. 2, p. 203-240, 2018.

RAMOS, P.; PASARÍN, M. I.; ARTAZCOZ, L.; DÍEZ, E.; JUÁREZ, O.; GONZÁLEZ, I. Escuelas saludables y participativas: evaluación de una estrategia de salud pública. Gac Sanit, v. 27, n. 2, p. 104-110, 2013.

RIBEIRO, A. S. Conscientização e Emancipação em Paulo Freire. Sinergia, São Paulo, v.19, n.1, p. 16-20, 2018.

SANTOS, N. N. Os Desafios da Gestão Intersetorial do Programa Bolsa Família: o Caso do Município de Guarulhos. In: XXXV Encontro da ANPAD. 2011. Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro. 2011. p. 1-17. Disponível em: https://arquivo.anpad.org.br/abrir_pdf.php?e=MTMwMzU=. Acesso em: 20 maio 2023.

SANTOS, W. L. P. Educação científica na perspectiva de letramento como prática social: funções, princípios e desafios. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 12, n. 36, p. 474-492, 2007. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-2478200700 0300007. Acesso em: 13 out. 2022.

SILVA-PIRES, F. E. S.; TRAJANO, V. S.; ARAÚJO-JORGE, T. C. Neglected Diseases in Brazilian Biology Text books. Amer J of Educ Research, v. 5, n. 4, p. 438-442, 2017.

TAVARES, M. F. L. Da Saúde Escolar à Escola Saudável: Construindo Espaços de Promoção da Saúde nas Escolas. In: ZANCAN, L; BODSTEIN, R; MARCONDES, W. B. (org.). Promoção da saúde como caminho para o desenvolvimento local: a experiência em Manguinhos - RJ. Rio de Janeiro: Abrasco/Fiocruz, 2002

TAVARES, M. F. L.; ROCHA, R. M. Promoção da Saúde e a Prática de Atividade Física em Escolas de Manguinhos - Rio de Janeiro. In: BRASIL. Ministério da Saúde. Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). Escolas Promotoras de Saúde: experiências no Brasil. Brasília: MS, p. 153-167. 2007.

TAVARES, M. F. L.; ROCHA, R. M.; BITTAR, C. M. L, PETERSEN, C. B. et al. A promoção da saúde no ensino profissional: desafios na saúde e a necessidade de alcançar outros setores. Ciênc Saúde Colet, v. 21, p. 1799-1808, 2016.

WEGNER, W.; SILVA, S. C.; KANTORSKI, K. J. C.; PREDEBON, C. M.; SANCHES, M. O.; PEDRO, E. N. R. Educação para cultura da segurança do paciente: implicações para a formação profissional. Esc Anna Nery, v. 20, n. 3, p. 1-8, 2016.

Downloads

Publicado

2023-05-30

Como Citar

OLIVEIRA, L. M. P. de .; TAVARES, M. de F. L. .; ROCHA, R. M. da . A tuberculose e as perspectivas de promoção da saúde nas escolas. Educação: Teoria e Prática, [S. l.], v. 33, n. 66, p. e39[2023], 2023. DOI: 10.18675/1981-8106.v33.n.66.s17196. Disponível em: https://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/educacao/article/view/17196. Acesso em: 19 jun. 2024.