Modernismo nos Livros Didáticos de Ensino Médio: que Temas e Textos são Tidos como Fundadores? A que isso se Presta, na Formação do Leitor Escolarizado?

  • Maria Amélia Dalvi Universidade Federal do Espírito Santo
Palavras-chave: Modernismo Brasileiro, Livros Didáticos, Ensino Médio

Resumo

Partindo de uma perspectiva cultural, este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa bibliográfico-documental. Traz, em primeiro lugar, uma breve síntese a respeito da pesquisa com livros didáticos e sua interrelação com a formação do leitor escolarizado no Brasil; depois, parte para uma brevíssima consideração acerca do que se entende por "moderno" e por "modernismo", passando pela instituição do termo e chegando às vanguardas européias, latino-americanas e brasileiras no século XX; por fim, organiza dados como os temas e subtemas relacionados ao Modernismo Brasileiro que comparecem em quatro livros didáticos contemporâneos, para a disciplina de Língua Portuguesa e Literatura no ensino médio, livros estes publicados por grandes grupos editoriais, elencando, também, os textos e os autores abordados (especialmente, Oswald de Andrade, Mário de Andrade, Manuel Bandeira e Carlos Drummond de Andrade). Como conclusão, analisa a que se presta o conjunto de temas, subtemas, autores e textos veiculados pelos impressos pedagógicos no processo de formação do leitor escolarizado. Defende, pois, que um livro didático menos previsível talvez fosse um meio de criticar tudo aquilo que reproduz um modelo de identidade – e de educação, verdade e formação – estanque e essencialista.

Biografia do Autor

Maria Amélia Dalvi, Universidade Federal do Espírito Santo
Licenciada e mestre em Letras e doutora em Educação, pela Universidade Federal do Espírito Santo, onde atua como professora adjunta do Departamento de Linguagens, Cultura e Educação. Autora de Drummond, do corpo ao corpus (Vitória: Edufes, 2009) e co-organizadora de A crítica literária: percursos, métodos, exercícios (Vitória: PPGL, 2010). Tem atuado, no ensino e na extensão, na confluência entre língua, literatura e educação, e tem pesquisado as práticas e representações da leitura na escola, tomando os livros didáticos como corpus privilegiado.
Publicado
2011-11-30
Seção
Artigos