Análise do tema bullying em revistas femininas para adolescentes

  • Ana Cláudia Bortolozzi Maia Universidade de São Paulo (UNESP), Campus de Bauru e Araraquara
  • Marcela Pastana Universidade Estadual Paulista (UNESP), Campus de Araraquara.
Palavras-chave: Bullying. Mídia. Adolescência

Resumo

Práticas de violência como agressões físicas e verbais, provocações, humilhações e exclusões que ocorrem principalmente entre jovens nas escolas são chamadas de “bullying” e o objetivo deste estudo foi investigar como este fenômeno é representado pelas revistas direcionadas ao público adolescente feminino. A análise qualitativa-descritiva foi realizada em 15 matérias de quatro revistas brasileiras: Capricho, Todateen, Atrevida e Yes Teen a partir de categorias temáticas: 1) Definição e atuação diante do bullying; 2) Caracterização dos envolvidos no bullying e 3) A Revista como solução da problemática. A necessidade das revistas em classificar e definir o que é bullying indica uma visão estática e limitada do fenômeno, reforçando estereotipados de que há vilões e vítimas e negligenciando os fatores sociais e históricos envolvidos. As revistas descrevem que as famílias e as escolas não estão preparadas para lidar com o tema, assumindo o papel de combater a situação, o que é feito através de dicas e recomendações e nenhuma reflexão crítica. Conclui-se que os discursos sobre o bullying identificados nas revistas que, em tese, deveriam enfatizar o respeito à diversidade, são permeados de padrões normativos, excluindo e silenciando grupos que não correspondam aos padrões hegemônicos vigentes.

Biografia do Autor

Ana Cláudia Bortolozzi Maia, Universidade de São Paulo (UNESP), Campus de Bauru e Araraquara
Doutora em Educação. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar. Vice-coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem. Universidade de São Paulo (UNESP), Campus de Bauru e Araraquara.
Marcela Pastana, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Campus de Araraquara.
Graduada em Psicologia. Mestranda em Educação Escolar, na linha de Sexualidade, Cultura e Educação Sexual. Bolsista CNPQ do Projeto “Repressão Sexual e Gênero: Análise de Concepções sobre o Prazer em Revistas Femininas e Masculinas”. Universidade Estadual Paulista (UNESP), Campus de Araraquara.
Publicado
2014-04-09
Seção
Artigos