ABANDONO NO ENSINO SUPERIOR: MODELOS TEÓRICOS, EVIDÊNCIAS EMPÍRICAS E MEDIDAS DE INTERVENÇÃO

Palavras-chave: Ensino Superior. Abandono. Desvinculação. Adaptação académica.

Resumo

Considerando que os perfis dos estudantes estão em constante mudança ao longo do tempo e em função das instituições, o conceito de abandono tem necessariamente de ir sendo atualizado por forma a refletir a realidade que consubstancia. O aumento de estudantes no Ensino Superior, o aumento das possibilidades de mobilidade dentro e entre instituições, assim como as possibilidades de reingresso, complexificam um sentido único para o conceito de abandono. Recorrendo à descrição do fenómeno, importa diferenciar o abandono (dropout) de momentos de pausa na formação (stopout) e de opções de mudança de curso ou instituição (optout). O presente artigo clarifica o significado de abandono nas suas várias formas de ocorrência e implicações, diferenciando o abandono em situação-estado atual, o abandono enquanto evento e o abandono enquanto processo. Descrevem-se os modelos teóricos subjacentes ao fenómeno, na sua diferenciação e complementaridade, dando destaque aos fatores valorizados e às suas evidências empíricas. O artigo termina apontando algumas linhas de atuação por parte das IES tendo em vista minorar a frequência e o impacto do abandono dos seus estudantes. Palavras-chave: Ensino Superior. Abandono. Desvinculação. Adaptação académica.

Biografia do Autor

Joana R. Casanova, Centro de Investigação em Educação, Instituto de Educação, Universidade do Minho, Braga, Portugal.
Doutoranda em Ciências da Educação, especialidade Psicologia da Educação, com financiamento da Fundação para a Ciência e Tecnologia, no Centro de Investigação em Educação, Instituto de Educação, Universidade do Minho
Publicado
2018-05-02
Como Citar
CASANOVA, J. R. ABANDONO NO ENSINO SUPERIOR: MODELOS TEÓRICOS, EVIDÊNCIAS EMPÍRICAS E MEDIDAS DE INTERVENÇÃO. Educação: Teoria e Prática, v. 28, n. 57, p. 05-22, 2 maio 2018.