EDUCAÇÃO INTERPROFISSIONAL EM SAÚDE NO ENSINO SUPERIOR: REVISÃO INTEGRATIVA SOBRE A EXPERIÊNCIA BRASILEIRA

Palavras-chave: Educação Interprofissional. Aprendizado Colaborativo. Educação Superior. Saúde. Revisão.

Resumo

O objetivo deste estudo foi analisar a produção científica sobre educação interprofissional em saúde no Brasil no contexto do ensino superior. Para isso realizou-se um estudo de revisão integrativa da literatura. Foram considerados estudos nacionais, com texto em línguas portuguesa, espanhola e inglesa, publicados de 2004 a 2020 nas bases de dados SciELO e LILACS, sendo incluídos nesse estudo de revisão integrativa 16 artigos. Os resultados foram avaliados pela técnica da análise temática. As categorias que denotaram a produção científica sobre educação interprofissional no ensino superior no Brasil compreenderam a educação interprofissional como meio para a troca de saberes, como espaço de reflexão e como elemento para o cuidado integral. Os resultados encontrados retrataram a importância da educação interprofissional no contexto analisado, com impacto positivo sobre o processo de ensino-aprendizagem na educação superior em saúde e, consequentemente, sobre a qualidade da atenção prestada na assistência à saúde.

Referências

BATISTA, N. A.; BATISTA, S. H. S. da S. Educação interprofissional na formação em saúde: tecendo redes de práticas e saberes. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, v. 20, p. 202-204, 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. Educação Interprofissional. Disponível em: http://www.saude.gov.br/trabalho-educacao-e qualificacao/gestao-da-educacao/qualificacao-profissional/44937-educacao-interprofissional. Acesso em: 15 dez. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Lei nº 11.129, de 30 de junho de 2005. Art. 13. Institui a Residência em Área Profissional da Saúde; Art. 14. Cria no âmbito do Ministério da Educação a Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde. Diário Oficial da União de 01/07/2005.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria Interministerial nº 421, de 03 de Março de 2010. Institui o Programa de Trabalho para a Saúde (PET-Saúde) e dá outras providências.

BRASIL. Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação na Saúde. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde: o que se tem produzido para o seu fortalecimento? Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde/Ministério da Educação. Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde. Pró-Saúde: Objetivos, implementação e desenvolvimento potencial. Brasília: Ministério da Saúde; 2007.

CAMARA, A. M. C. S.; GROSSEMAN, S.; PINHO, D. L. M. Educação interprofissional no Programa PET-Saúde: a percepção de tutores. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, v. 19, p. 817-829, 2015.

DYESS, A. L. et al. Impact of interprofessional education on students of the health professions: a systematic review. Journal of Educational Evaluation for Health Professions, v. 16, 2019.

FORTE, F. D. S. et al. Educação interprofissional e o programa de educação pelo trabalho para a saúde/Rede Cegonha: potencializando mudanças na formação acadêmica. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, v. 20, p. 787-796, 2016.

FRANCO, T. B.; MERHY, E. E. Programa de Saúde da Família (PSF): contradições de um programa destinado à mudança do modelo tecnoassistencial. O trabalho em saúde: olhando e experienciando o SUS no cotidiano. São Paulo: Hucitec, p. 55-124, 2003.

GURAYA, S. Y.; BARR, H. The effectiveness of interprofessional education in healthcare: A systematic review and meta-analysis. The Kaohsiung journal of medical sciences, v. 34, n. 3, p. 160-165, 2018.

HALL, P. Interprofessional teamwork: Professional cultures as barriers. Journal of Interprofessional Care, v. 19, n. sup1, p. 188-196, 2005.

KENT, F.; KEATING, J. L. Interprofessional education in primary health care for entry level students: A systematic literature review. Nurse Education Today, v. 35, n. 12, p. 1221-1231, 2015.

KHALILI, H., HALL, J., DELUCA, S. Orientação para a educação interprofissional global e pesquisa sobre a prática colaborativa: Documento de trabalho. 2019. Publicação conjunta do Interprofessional Research Global e da Interprofessional Global. Disponível em: www. research.interprofessional.global. Acesso em: 2 out. 2019.

MADRUGA, L. M. de S. et al. O PET-Saúde da Família e a formação de profissionais da saúde: a percepção de estudantes. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, v. 19, p. 805-816, 2015.

MATUDA, C. G.; AGUIAR, D. M. de L.; FRAZÃO, P. Cooperação interprofissional e a Reforma Sanitária no Brasil: implicações para o modelo de atenção à saúde. Saúde e Sociedade, v. 22, p. 173-186, 2013.

MELNYK, B. M.; FINEOUT-OVERHOLT, E. (ed.). Evidence-based practice in nursing & healthcare: a guide to best practice. Lippincott Williams & Wilkins, 2011.

MINAYO, M. C. de S. Introdução à metodologia das ciências sociais. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12. ed. São Paulo (SP): Hucitec. 2010.

OLIVEIRA, M. de L. S. de; SILVA, F. C. S. Saúde Coletiva: o olhar do egresso sobre a formação. Revista Saúde e Desenvolvimento, v. 7, n. 4, p. 78-93, 2016.

OLSON, R.; BIALOCERKOWSKI, A. Interprofessional education in allied health: a systematic review. Medical Education, v. 48, n. 3, p. 236-246, 2014.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Marco para ação em educação interprofissional e prática colaborativa. 2010.

PAN AMERICAN HEALTH ORGANIZATION. Interprofessional Education in Health Care: Improving Human Resource Capacity to Achieve Universal Health. Report of the Meeting. Bogota, Colombia, 7-9 Dec 2016. Washington, DC: PAHO; 2017.

PEDUZZI, M. O SUS é interprofissional. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, v. 20, p. 199-201, 2016.

REEVES, S. et al. A BEME systematic review of the effects of interprofessional education: BEME Guide No. 39. Medical Teacher, v. 38, n. 7, p. 656-668, 2016.

REEVES, S. et al. Interprofessional collaboration to improve professional practice and healthcare outcomes. Cochrane Database of Systematic Reviews, n. 6, 2017.

REEVES, S. Porque precisamos da educação interprofissional para um cuidado efetivo e seguro. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, v. 20, n. 56, 2016.

ROSSIT, R.; BATISTA, S. H.; BATISTA, N. A. Training for integrality in Health Care Careers: Potential for an Interprofessional Project. Revista Internacional de Humanidades Médicas, v. 3, n. 1, 2014.

Sobre a Revista Interface. Informações básicas. Disponível em: http://www.scielo.br/revistas/icse/paboutj.htm. Acesso em: 15 dez. 2019.

Sobre a SciELO. SciELO. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_home&lng=pt&nrm=iso#about. Acesso em: 15 dez. 2019.

SOUZA, M. T. de; SILVA, M. D. da; CARVALHO, R. de. Integrative review: what is it? How to do it? Einstein, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 102-106, 2010.

WANG, Z. et al. A Systematic Meta‐Analysis of the Effect of Interprofessional Education on Health Professions Students’ Attitudes. Journal of Dental Education, v. 83, n. 12, p. 1361-1369, 2019.

ZECHARIAH, S. et al. Interprofessional Education and Collaboration in Healthcare: An Exploratory Study of the Perspectives of Medical Students in the United States. Healthcare. Multidisciplinary Digital Publishing Institute, v. 7, n. 4, p. 117, 2017.

Publicado
2021-03-15