Atuação do psicólogo escolar na educação inclusiva

Palavras-chave: Psicologia Escolar. Educação Inclusiva. Educação Especial. Revisão Bibliográfica.

Resumo

Esta pesquisa é oriunda de discussões realizadas na academia sobre as práticas pertinentes à educação inclusiva. O objetivo consistiu em verificar o papel do psicólogo escolar na inclusão de alunos público alvo da Educação Especial. A pesquisa se delimita como qualitativa, exploratória e do tipo bibliográfica. Para embasar as reflexões apresentadas, recorreu-se a referências sobre a Psicologia Escolar, além de documentos legais, como as políticas públicas. A busca foi realizada, por meio digital, em periódicos das áreas da Educação e da Psicologia, nas publicações em periódicos de relevante nível de impacto classificados no país como Qualis A2 e B1, que discorrem sobre a atuação da Psicologia Escolar em contexto educacional inclusivo. Os achados apontaram que o psicólogo escolar tem papel relevante no processo inclusivo, de modo a atuar em diferentes espaços e níveis de escolarização, podendo contribuir com suas práticas para a orientação aos professores, aos alunos e a toda a comunidade escolar. O número de publicações revelou a necessidade de ampliação e publicação de pesquisas. Ao concluir-se que os ganhos dessa atuação são expressivos tanto para o movimento inclusivo quanto para todos os agentes envolvidos, urge divulgar esse trabalho e reivindicar a presença do psicólogo escolar nas instituições educacionais.

Referências

ALMEIDA, S. F. C de. O Psicólogo escolar e os impasses da educação: Implicações da (s) teoria (s) na atuação profissional. In: PRETTE, Z. A. P. D. (org.). Psicologia escolar e Educacional: Saúde e qualidade de vida. 4. ed. Campinas, SP: Editora Alínea, 2011.

ANACHE, A. A. A pessoa com deficiência mental entre os muros da educação. In: CAMPOS, H. R.(org.). Formação em psicologia escolar: Realidades e perspectivas. Campinas, SP: Editora Alínea, 2007.

ANTUNES, M. A. M. Psicologia Escolar e Educacional: história, compromissos e perspectivas. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE)., v. 12, n. 2, p. 469-475, jul./dez. 2008.

BARBOSA, A. J. G.; CONTI, C. F. Formação em psicologia e educação inclusiva: um estudo transversal. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, SP, v. 15, n. 2, p. 231-240, jul./dez., 2011.

BARBOSA, R. J.; MARINHO-ARAÚJO, C. M. Psicologia escolar no Brasil: considerações e reflexões históricas. Estudos de Psicologia., Campinas, v. 27, n. 3, p. 393-402, jul./set., 2010.

BENITEZ, P.; DOMENICONI, C. Atuação do psicólogo na inclusão escolar de estudantes com autismo e deficiência intelectual. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v. 22, n. 1, jan./abr. 2018.

BENITEZ, P.; DOMENICONI, C. Inclusão Escolar: o Papel dos Agentes Educacionais Brasileiros. Psicol. cienc. prof., Brasília, v. 35, n. 4, out./dez., 2015.

BRASIL. Constituição de 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, 1988.

BRASIL. Decreto nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999. Brasília, 1999.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 12, de 17 de outubro de 1978. Assegura aos Deficientes a melhoria de sua condição social e econômica. Brasília, 1978.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei nº 8.069 de 13 de julho de 1990.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Brasília: 1996.

BRASIL. Lei nº 7.853, de 24 de outubro de 1989. Brasília, 1989.

BRASIL. Lei n° 10.098 de 19 de dezembro de 2000. Brasília: 2000.

BRASIL. Lei nº 13.146 de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília, 2015.

BRASIL. Lei nº 13.935 de 11 de dezembro de 2019. Brasília, 2019.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 02, de 11 de setembro de 2001. Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Diário Oficial da União Seção 1E, de 11 de outubro de 2001, p. 39-40. CNE/CEB. Brasília, 2001.

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Saúde da Pessoa Portadora de Deficiência. Secretaria de Atenção à Saúde. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2008.

BRAZ-AQUINO, F. de S.; FERREIRA, I. R. L.; CAVALCANTE, L. de A. Concepções e Práticas de Psicólogos Escolares e Docentes acerca da Inclusão Escolar. Psicol. cienc. prof., Brasília, v. 36 n. 2, abr./jun. 2016.

CASSINS, M. et al. Manual de Psicologia escolar-educacional. Conselho Regional de Psicologia do Paraná. Curitiba: Gráfica e Editora Unificado, 2007.

CHAVES, J. R.; SILVA, P. F. da.; CAVALCANTE, A. C. S. Na essência somos iguais, na diferença nos respeitamos: Estágio em Psicologia Escolar. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v. 22, n.3, set./dez. 2018.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Atribuições Profissionais do Psicólogo no Brasil. Contribuição do Conselho Federal de Psicologia ao Ministério do Trabalho para integrar o catálogo brasileiro de ocupações. Enviada em 17 de outubro de 1992. Disponível em: https://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2008/08/atr_prof_psicologo.pdf. Acesso em 12 ago. 2020.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Resoluções relativas ao Título Profissional de Especialista em Psicologia e dispõe sobre normas e procedimentos para seu registro nº 013/07. 2007. Disponível em: http://www.pol.org.br/pol/export/sites/ default/pol/legislacao/legislacaoDocumentos/resolucao2007_13.pdf. Acesso em: 25 nov. 2021.

COUTINHO, M. T. da C., MOREIRA, M. Psicologia da Educação: Um estudo dos processos psicológicos de desenvolvimento e aprendizagem humanos, voltados para educação - com ênfase na abordagem construtivista. Belo Horizonte: Editora Lê, 2001.

DAVIS, C.; OLIVEIRA, Z de M. Psicologia na educação. 6 ed. Revisada. São Paulo: Editora Cortez, 1993.

DIAS, A. C. G.; PATIAS, N. D.; ABAID, J. L. W. Psicologia Escolar e possibilidades na atuação do psicólogo: Algumas reflexões. Revista Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, v. 18, n. 1, p. 105-111, jan./abr., 2014.

FONSECA, T. da S.; FREITAS, C. S. C.; NEGREIROS, F. Psicologia Escolar e Educação Inclusiva: A Atuação Junto aos Professores. Rev. bras. educ. espec., Bauru, v. 24 n. 3, jul./set. 2018.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GUZZO, R. (org.). Psicologia Escolar: LDB e educação hoje. São Paulo: Alínea. 2002.

GUZZO, R. et al. Psicologia e Educação no Brasil: uma visão da história e possibilidades nessa relação. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Campinas, v. 26, n. especial, p. 131-141, 2010.

LA TAILLE, Y. de. O lugar da interação social na concepção de Jean Piaget. In: LA TAILLE, Y. de; OLIVEIRA, M. K. de; DANTAS, H. Piaget, Vygotsky, Wallon: Teorias psicogenéticas em discussão. 2. ed. São Paulo: Sammus, 1992.

LIMA, A., et al. Inclusão no ensino superior: uma proposta de ação em Psicologia Escolar. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v. 20 n. 1, jan./abr, 2016.

LUZ. A; B. Psicologia na educação inclusiva em Paracuru no Ceará: Um processo de desconstruções e construções. In: RANSCHINI, R.; VIANA, M. N. (org.) Psicologia Escolar: que fazer é esse? Conselho Federal de Psicologia. Brasília, 2016. 215 p.

MACEDO, M. D. C. S. R. et. al. Histórico da inclusão escolar: uma discussão entre texto e contexto. Psicol. estud., Maringá, v. 19, n. 2, abr./jun. 2014.

MALUF, M. R. Formação e atuação do Psicólogo na educação: dinâmica de transformação. Em Conselho Federal de Psicologia (org.) Psicólogo Brasileiro: Práticas emergentes e desafios para a formação. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1994. p. 157-200.

MARINHO-ARAÚJO, C. M. Inovações em Psicologia Escolar: o contexto da educação superior. Estudos de Psicologia. Campinas, v. 33, n. 2, abr./jun. 2016.

MINAYO, M. C. de S. Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In: MINAYO, M. C. de S (Org) Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 1994.

MOURA, F. R. de; FACCI, M. G. D. A atuação do psicólogo escolar no ensino superior: configurações, desafios e proposições sobre o fracasso escolar. Psicologia Escolar e Educacional, v. 20, n. 3, p. 503-514, set./dez. 2016.

OLIVEIRA, A. L. de M.; RESENDE, M. C. de. Oficinas vivenciais: reflexões sobre direitos humanos de pessoas com deficiências. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v. 21, n. 2, maio/ago. 2017.

OLIVEIRA, C. B. E. de; MARINHO-ARAÚJO, C. M. Psicologia escolar: cenários atuais. Estudos e pesquisas em psicologia, UERJ, RJ, n. 3, p. 648-663, 2009.

OLIVEIRA, M. C. S. L. de; DIAS, S. de S. inclusão como contexto de transição de desenvolvimento: um olhar da Psicologia escolar. In: RANSCHINI, R.; VIANA, M. N. (org.) Psicologia Escolar: que fazer é esse? Conselho Federal de Psicologia. Brasília, 2016. 215p.

PIAGET, J. O juízo moral na criança. 4. ed. São Paulo: Summus, 1994.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C. Metodologia do Trabalho Científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

REGO, T. C. Vygotsky: Uma perspectiva histórico-cultural da educação. 13. ed. Petrópolis/RJ: Vozes, 1995.

SANTOS, A. S. dos. et. al. Atuação do Psicólogo Escolar e Educacional no ensino superior: reflexões sobre práticas. Revista Quadrimestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, v. 19, n. 3, set./dez. 2015.

SANTOS, G. M. dos. Atuação e práticas na Psicologia Escolar no Brasil: revisão sistemática em periódicos. Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, v. 22, n. 3, set./dez., 2018.

SILVA, C. C. B. da; MOLERO, E. S. da S.; ROMAN, M. D. A interface entre Saúde e Educação: percepções de educadores sobre educação inclusiva. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v. 20, n.1, jan./abr. 2016.

SILVA, S. M. C. da; et. al. O Psicólogo Escolar e a Infância - uma experiência em escola pública. Educação: Teoria e Prática. Rio Claro, v. 18, n. 31, jul./dez. 2008.

SOUZA, M. P. R. de. Reflexões a respeito da atuação do psicólogo no campo da psicologia escolar/educacional em uma perspectiva crítica. In: CAMPOS, H. R.(org.). Formação em psicologia escolar: Realidades e perspectivas. Campinas, SP: Editora Alínea, 2007.

UNESCO. Declaração de Salamanca. Sobre Princípios, Políticas e Práticas na Área das Necessidades Educativas Especiais. 1994.

UNESCO. Declaração Mundial sobre Educação para Todos: satisfação das necessidades básicas de aprendizagem. 1990.

VYGOTSKY, L. S. Aprendizagem e desenvolvimento intelectual na idade escolar. In: LEONTIEV, A. et. al. Psicologia e pedagogia: bases psicológicas da aprendizagem e do desenvolvimento. Tradução de Rubens Eduardo Frias. São Paulo: Centauro, 2005.

VYGOTSKY, L. S. A defectologia e o estudo do desenvolvimento e da educação da criança anormal. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 4, p. 861-870, dez. 2011.

WALLON, H. As origens do pensamento na criança. Tradução Doris Sanches Pinheiro e Fernanda Alves Braga. São Paulo: Manole, 1989.

Publicado
2022-06-29
Como Citar
SCHMENGLER, A. R.; FONTOURA, G. M.; PIZZOLOTTO, R.; PAVÃO, S. M. DE O. Atuação do psicólogo escolar na educação inclusiva. Educação: Teoria e Prática, v. 32, n. 65, p. e20[2022], 29 jun. 2022.