O PERFIL DO PÓS-GRADUANDO COMO ELEMENTO PARA SE PENSAR A FORMAÇÃO DO DOCENTE EM ENGENHARIA

Palavras-chave: Pós-graduação. Engenharia. Formação Docente. Ensino Superior. Estágio Docente.

Resumo

Por meio da aplicação on-line de um questionário sociodemográfico, realizou-se um estudo exploratório de natureza quantitativa cujos objetivos foram identificar e descrever o perfil de pós-graduandos em Engenharia visando a se conhecerem características pessoais e acadêmicas e relacioná-las com os processos de formação docente para o ensino superior realizados durante o curso. Participaram 340 pós-graduandos de instituições públicas do Sul e do Sudeste do país. Encontrou-se que mais da metade dos participantes tinha menos de 30 anos, sendo a maioria do sexo masculino e que, do total: a) 297 se graduaram em cursos de bacharelado; b) 45,6% não tinham qualquer tipo de experiência com a docência; e c) 85,9% pretendiam ser professores do ensino superior. Entende-se que os resultados encontrados subsidiam discussões sobre a preparação para a docência oferecida aos pós-graduandos, visto que o conhecimento sobre o perfil do discente pode ser utilizado para aproximar a realidade dos cursos às necessidades de seus alunos, com vistas à formação de docentes mais bem preparados.

Referências

BASTOS, A. V. B. et al. Réplica 1 – Formar docentes: em que medida a pós-graduação cumpre esta missão? In: ENANPAD, XXXIV, 2011, Anais[...] Rio de Janeiro-RJ, p.1152-1160, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-65552011000600011. Acesso em: 28 out. 2019.

BAZZO, W. A.; PEREIRA, L. T. V. Rompendo Paradigmas na Educação em Engenharia. Revista Iberoamericana de Ciencia Tecnología y Sociedad (En línea), v. 14, p. 169-185, 2019.

BRASIL. Lei nº 9.394, 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Brasília-DF, 1996. Disponível em: http://bd.camara.gov.br/bd/bitstream/handle/bdcamara/2762/ldb_5ed.pdf. Acesso em: 10 out. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Plano Nacional de Pós-Graduação – PNPG 2011-2020 / Coordenação de Pessoal de Nível Superior. – Brasília, DF: CAPES, 2010.

CABRAL, C. G.; BAZZO, W. A. As Mulheres nas Escolas de Engenharia Brasileiras: história, educação e futuro. Revista de Ensino de Engenharia, v. 24. n. 1, p. 3-9, 2005.

CANDIDO, J. et al. O porquê da necessidade de se investir em um programa de formação docente nos cursos das engenharias no Brasil. Revista de Ensino de Engenharia, v. 38, n. 3, p. 126-136, 2019.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR (CAPES). Estatísticas. Brasília, 2014. Disponível em: http://geocapes.capes.gov.br/geocapesds/. Acesso em: 6 jun. 2017.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR (CAPES). Estatísticas. Brasília, 2019. Disponível em: http://geocapes.capes.gov.br/geocapesds/. Acesso em: 7 out. 2019.

CUNHA, M. I. Formação do professor de educação superior: o lugar da pedagogia universitária. In: CONGRESS OF THE LATIN AMERICAN STUDIES ASSOCIATION, 2009. Anais […] Rio de Janeiro-RJ, p. 1-14, 2009.

CUNHA, M. I.. A formação docente na universidade e a resignificação do senso comum. Educar em Revista, v. 35, n. 75, p. 121-133, 2019.

CUNHA, M. I.; ALVES, R. S. Docência no Ensino Superior: a alternativa da formação entre pares. Revista Linhas, v. 20, n. 43, p. 10-20, 2019.

DINIZ, K. M.; SOARES, S. S. A formação dos professores universitários e o exercício da docência: saberes e práticas necessários para a ação pedagógica. Ensino em Revista, v. 23, n. 1, p. 28-48, 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.14393/ER-v23n1a2016- 2. Acesso em: 10 out. 2019.

DJKSTRA, E. A; BRASILIENSE, N. R. M.; BAZZO, W.; TEIXEIRA, L. A. V.P. Formação do engenheiro: uma visão de alunos. In: XXX Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia, 2002. Anais […] Piracicaba-SP, p. 1-10, 2002.

FONG, C. J. et al. Examining the impact of four teaching development programmes for engineering teaching assistants. Journal of Further and Higher Education, v. 43, n. 3, p. 363-380, 2019.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. São Paulo: Editora Paz e Terra, 1997.

GODOY, A.; SILVA, E. S.; FIGUEIREDO, R. Efeitos do Estágio Docente na Formação do Pós-Graduando. In: WORKSHOP SOBRE EDUCAÇÃO EM COMPUTAÇÃo, XXI, 2013, Maceió. Anais […] Maceió-AL, p. 1-10, 2013.

HEMMINGS, B. C. Strengthening the teaching self-efficacy of early career academics. Issues in Educational Research, v. 25, n. 1, p. 1-17, 2015.

JOAQUIM, N. F.; VILAS BOAS, A. A.; CARRIERI, A. P. Estágio docente: formação profissional, preparação para o ensino ou docência em caráter precário?. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 39, n. 2, p. 351-365, 2013.

LACLAUSTRA, V. A. et al. Experiencias pedagogicas em ingenería em Colombia uma propuesta de mejoramiento del ejercicio docente. Revista de Ensino de Engenharia, v. 27, n. 1, p. 8-16, 2008.

MARINI, T. A função do ensino e a formação do professor universitário. São Paulo: Paulus, 2013.

MASETTO, M. T. Competência Pedagógica do Professor Universitário. São Paulo: Summus Editorial, 2012.

MATOS, M. M. Autoeficácia docente e escolha pelo ensino superior no contexto do estágio de docência em engenharia. (Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Rio Claro, Brasil), 2015. Retirado de: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/134133

MELO, H. P.; LASTRES, H. M. M.; MARQUES, T. C. N. Gênero no sistema de ciência, tecnologia e inovação do Brasil. Gênero, v. 4, n.2, p. 75-96, 2004.

MINAYO, M. C. DE S.; SANCHES, O. Quantitativo-qualitativo: oposição ou complementaridade? Cadernos de Saúde Pública, v. 9, n. 3, p. 237-248, 1993.

MOITA, F. M. G. S. C.; ANDRADE, F. C. B. Ensino-pesquisa-extensão: um exercício de indissociabilidade na pós-graduação. Revista Brasileira de Educação. v. 14, n. 41, p. 269-280, 2009.

OLIVEIRA, V. F. Crescimento, evolução e o futuro dos cursos de Engenharia. Revista de Ensino de Engenharia, v. 24, n. 2, p. 3-12, 2005.

PACHANE, G. G. Formação pedagógica de pós-graduandos para a atuação docente no Ensino Superior: a experiência da UNICAMP. Educere et Educare, v. 2, n. 4, p. 219-233, 2007.

PINTO, D. P.; OLIVEIRA, V. F. Reflexões sobre a prática do engenheiro professor. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENSINO DE ENGENHARIA, XL, 2012, Belém. Anais […] Belém-PA, 2012.

QUADROS, A. L. et al. A formação do professor universitário no percurso de pós-graduação em química. Ciência e Educação, v. 18, n. 2, p. 309-321, 2012.

SILVA, S. H. D. S. C. E; SOUZA, F. DAS C. S. Bacharéis Que Se Tornam Professores: Inserção E Prática Profissionais De Engenheiros No Ensino Superior. Holos, v. 5, p. 197, 2017.

SOUZA, F. DAS C. Percurso formativo de engenheiros professores da educação profissional e tecnológica. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 98, n. 248, p. 62-76, 2017.

TONINI, A. M.; ARAÚJO, M. T. DE. A participação das mulheres nas áreas de STEM ( Science , Technology Engineering and Mathematics). Revista de Ensino de Engenharia, v. 38, n. 3, p. 118-125, 2020.

Publicado
2020-11-03