Afetos, significados e sentidos relacionados com o ambiente escolar para estudantes do Ensino Médio

Palavras-chave: Escola. Sentido. Psicologia Ambiental.

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar os afetos, significados e sentidos do ambiente escolar para jovens estudantes de uma escola pública de Fortaleza/CE sob a perspectiva da teoria histórico-cultural e da. Essa análise considera, portanto, as relações pessoa-ambiente enquanto geradoras de uma mutualidade de afetos que interferem no modo como os jovens pensam, sentem, percebem e se comportam no espaço escolar. Essa afetação provoca transformações nas inter-relações que ocorrem entre os jovens estudantes e o ambiente educacional, favorecendo a participação, o envolvimento ou o afastamento da escola. Participaram da pesquisa de enfoque qualitativo 42 jovens do 2º ano do ensino médio e, para a coleta de dados, utilizou-se o Instrumento Gerador dos Mapas Afetivos (IGMA). Os resultados indicaram que os estudantes internalizam os significados sociais a respeito do ambiente escolar como se fossem seus próprios sentidos; os afetos desvelados sobre tal lugar são ambíguos, contrastando entre felicidade e/ou prejuízo;evidenciou-se, ainda, a escola como lugar de inter-relações que afetam e transformam a pessoa e o ambiente e que influenciam o processo de projeção de sonhos e expectativas, de perspectivas e de preparação para o futuro.

Referências

AMARAL, V. L. Psicologia da Educação. Natal: EDUFRN, 2007.

BOMFIM, ‪Z. A. C. Cidade e Afetividade: Estima e Construção dos Mapas Afetivos de Barcelona e São Paulo. Fortaleza: Edições UFC, 2010. ‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬

BOMFIM, ‪Z. A. C. et al. Affective maps: validating a dialogue between qualitative and quantitative methods. In: MIRA, R. G.; DUMITRU, A. (org.). Urban sustainability: innovate spaces, vulnerabilities and opportunities. Coruña: Deputación da Coruña, 2014, p. 131-147. ‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬

BOMFIM, ‪Z. A. C.; FEITOSA, M. Z. de S.; FARIAS, N. F. Afetividade e lugar como categorias de mediação no laboratório de pesquisa em Psicologia Ambiental. In: LIMA, A. F.; GERMANO, I. M. P.; SABÓIA, I. B.; FREIRE, J. C. Sujeito e Subjetividades contemporâneas. Estudos do programa de pós-graduação em Psicologia da UFC. Fortaleza: Edições UFC, 2018, p. 455-482.‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬

BOMFIM, ‪Z. A. C.; MAIA, C. M.; LIMA, A. C.; COSTA, A. C. A afetividade no contexto universitário: a relação de apego entre professores, estudantes e servidores com o campus. In: HIGUCHI, M. I. G.; KUHNEN, A.; PATO, C. (org.). Psicologia Ambiental em Contextos Urbanos. Florianópolis: Edições do Bosque, 2019, p. 86-114. ‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬

CAMPOS-DE-CARVALHO, M. I.; ELALI, G. A. Ambientes para crianças pequenas. In: HIGUCHI, M. I. G.; KUHNEN, A.; PATO, C. (org.). Psicologia Ambiental em Contextos Urbanos. Florianópolis: Edições do Bosque, 2019, p. 58-72.

CAVALCANTE, S.; ELALI, G. A. (org.). Temas básicos em Psicologia Ambiental. Petrópolis: Vozes, 2011.

CAVALCANTE, S.; ELALI, G. A. (org.). Psicologia Ambiental: conceitos para a leitura da relação pessoa-ambiente. Petrópolis, RJ: Vozes, 2018.

CAVALCANTE, S.; ELIAS, T. F. Apropriação. In: CAVALCANTE, S.; ELALI, G. A. (org.). Temas básicos em Psicologia Ambiental. Petrópolis: Vozes, 2011, p. 63-69.

MARINHO, A. S. A cartografia afetiva na leitura do espaço escolar: compreendendo olhares e subjetividades. 2018. Artigo (Licenciatura em Geografia) – Departamento de Geografia, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.

MASSOLA, G. M.; SVARTMAN, B. P. Enraizamento. In: CAVALCANTE, S.; ELIALI, G. A. (org.). Psicologia Ambiental: conceitos para a leitura da relação pessoa-ambiente. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017, p. 75-88.

MILLER, S.; ARENA, D. B. A constituição dos significados e dos sentidos no desenvolvimento das atividades de estudo. Ensino Em Re-Vista, Uberlândia, v. 18, n. 2, p. 341-353, nov. 2011.

MIRA, R. G. Aportación de la Psicologia Ambiental. In: MIRA, R. G. (org.). La ciudad percibida. Una psicología ambiental de los barrios de A Coruña. Coruna: Universidade da Corunã, 1997, p. 23-36.

MOREIRA, A. R. C. P.; FERREIRA, J. A. A dimensão educativa do pátio escolar: contribuições da psicologia ambiental. In: HIGUCHI, M. I. G.; KUHNEN, A.; PATO, C. (Orgs.). Psicologia Ambiental em Contextos Urbanos. Florianópolis: Edições do Bosque, 2019, p. 73-85.

OLIVEIRA, A. B., F; LIMA, A. I. B. Vigotski e os processos criativos de professores ante a realidade atual. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 42, n. 4, p. 1399-1419, out./dez. 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/2175-623662025. Disponível em: https://www.scielo.br/j/edreal/a/T38MhGkwn35JLT33Zhct4Cr/?lang=pt. 15 de julho de 2018.

TUAN, Yi-Fu. Topofilia – um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Londrina: Eduel, 1983.

VYGOTSKY, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. Tradução Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

Publicado
2022-06-29
Como Citar
VIEIRA, J. DE S. F.; FERREIRA, K. P. M.; CASTRO, M. R. DE. Afetos, significados e sentidos relacionados com o ambiente escolar para estudantes do Ensino Médio. Educação: Teoria e Prática, v. 32, n. 65, p. e28[2022], 29 jun. 2022.