SISTEMA DE ENSINO APOSTILADO: UM “CAVALO DE TROIA”?

  • Raquel de Melo Giacomini Universidade Federal de Santa Catarina
  • Clarícia Otto Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: Sistema Educacional Família e Escola. Estratégias. Governamentalidade neoliberal.

Resumo

Neste artigo, o objetivo é compreender a política utilizada para a implantação do Sistema Educacional Família e Escola (SEFE), em escolas da rede municipal de ensino de Florianópolis (SC), entre 2009 e 2012. O método utilizado foi observação e participação nos cursos de formação continuada de professores, ministrados pelo SEFE, aplicação de 82 questionários e realização de oito entrevistas com professores de escolas que utilizam o SEFE. Como aportes teóricos, tomamos o conceito de estratégias, de acordo com Michel de Certeau; a produção de subjetividades, na acepção de Michel Foucault; e, a governamentalidade neoliberal, conforme indicado por Karla Saraiva e Alfredo Veiga-Neto. Dentre os resultados, inferimos que o SEFE adota estratégias de governamentalidade com características neoliberais, tais como: estímulo à competição, busca pela eficiência e qualidade, cumprimento de metas e práticas de meritocracia. Além disso, é possível identificar que a utilização do material didático do SEFE propicia a emergência de um profissional que atua de forma mecânica, o que pode conduzir a um paulatino processo de perda da autonomia docente. Palavras-chave: Sistema Educacional Família e Escola. Estratégias. Governamentalidade neoliberal.

Biografia do Autor

Raquel de Melo Giacomini, Universidade Federal de Santa Catarina
Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina e graduada em Pedagogia pela mesma universidade, com habilitação em Educação Infantil e nos Anos Iniciais do ensino fundamental. Atualmente é professora efetiva da rede pública municipal de Florianópolis.
Publicado
2017-04-27
Seção
Artigos