O currículo de Harry Potter: representações de escola e currículo na literatura infanto-juvenil

  • Maria Carolina da Silva Centro Universitário UNA
  • Marlucy Alves Paraíso UFMG
Palavras-chave: Currículo. Pedagogia Cultural. Representação.

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar as representações de escola e currículo divulgadas pela série de livros Harry Potter. Sucesso em todo o mundo, a série Harry Potter é composta por sete livros que contam as aventuras de um menino que, aos onze anos, descobre ser um bruxo e é enviado para a Escola e Magia Bruxaria de Hogwarts, onde aprenderá a usar seus poderes mágicos. Com base na vertente pós-estruturalista dos Estudos Culturais, considero que a representação não apenas apresenta uma realidade, mas atua ativamente na sua construção. O argumento desenvolvido é do que a escola entendida como ideal pelos livros é aquela que é um lar para professores/as e alunos/as, que é segura e que agrupa os/as estudantes segundo suas habilidades e características individuais. O modelo curricular divulgado pela série, por sua vez, é uma fusão do currículo científico com o currículo prático. Tendo em vista a abrangência dos livros, é importante compreender como a educação vem sendo divulgada em um artefato cultural não escolar endereçado para os/as jovens.

Biografia do Autor

Maria Carolina da Silva, Centro Universitário UNA
Mestre em educação pela FaE/UFMG. Professora do Centro Universitário UNA/BH e da Universidade Estadual de Minas Gerais
Marlucy Alves Paraíso, UFMG
Professora Associada da Faculdade de Educação e do Programa de Pos-graduação em Educação da UFMG, PHD em Educação pela Universidad de Valencia – Espanha, Pesquisadora do CNPQ e Coordenadora do GECC: Grupo de Estudos e Pesquisas em Currículos e Culturas da FaE/UFMG. Atualmente é também coordenadora do Programa de Pos-graduação em Educação da FAE/UFMG
Publicado
2012-04-13
Seção
Artigos