O PESSIMISMO NA POESIA DE AUGUSTO DOS ANJOS

  • Wellington Lima Amorim Universidade Federal do Maranhão
  • Adonay Ramos Moreira Universidade Federal do Maranhão
Palavras-chave: Poesia. Pessimismo. Reflexão.

Resumo

Augusto dos Anjos faz parte, em nossas letras, de um seleto grupo de escritores que, por ter mergulhado a fundo na existência humana, criou na Literatura Brasileira obras que fogem aos lugares-comuns de seu tempo e à condição de carnavalização atribuída à diversidade cultural das terras brasileiras, visão essa que tanto distorceu e ofuscou o verdadeiro poder de nossos artistas. O pessimismo assume, dessa forma, uma função essencial: questionar o que se está fazendo e como se está fazendo, uma vez que todos os grandes pessimistas são, no fundo, grandes realistas. O objetivo de tal trabalho é avaliar o pessimismo da poesia de Augusto dos Anjos e identificar as reflexões inovadoras que seus versos apresentam. Para tanto, leu-se a sua única obra, “EU”, bem como poemas publicados na juventude e alguns de seus principais críticos e estudiosos, como Raimundo Magalhães Júnior e o poeta Ferreira Gullar. A metodologia utilizada foi de revisão bibliográfica, avaliando a poesia do autor e identificando em sua obra, em comparação com o pensamento de seu tempo, a gênese de sua singularidade em nossa Literatura. Palavras-chave: Poesia. Pessimismo. Reflexão.

Biografia do Autor

Wellington Lima Amorim, Universidade Federal do Maranhão
Doutorado em Ciências Humanas (UFSC). Mestrado em Filosofia (UNISINOS). Graduação em Filosofia (UFRJ).
Adonay Ramos Moreira, Universidade Federal do Maranhão
Licenciado em Filosofia pela Universidade Federal do Maranhão – UFMA.
Publicado
2017-04-27
Como Citar
AMORIM, W. L.; MOREIRA, A. R. O PESSIMISMO NA POESIA DE AUGUSTO DOS ANJOS. Educação: Teoria e Prática, v. 27, n. 54, p. 06 - 22, 27 abr. 2017.
Seção
Artigos