SOBRE O HORÁRIO DE TRABALHO PEDAGÓGICO COLETIVO

Palavras-chave: Formação Continuada, Processos Formativos, Trocas de Experiências, Saberes Docentes.

Resumo

Este artigo aborda a estrutura e organização do Horário de Trabalho Pedagógico Coletivo (HTPC) e os processos formativos neles presentes. O objetivo foi discutir as especificidades do HTPC de professores polivalentes e de Educação Física, na rede municipal de Piracicaba/SP. A metodologia, de natureza qualitativa, teve como instrumentos de coleta de dados a análise documental, entrevistas e questionários. A partir dessas análises, defende-se que o professor da escola fundamental receba formação que possibilite avançar as suas práticas pedagógicas além do processo de leitura, escrita e conhecimentos lógico-matemáticos. Percebeu-se a necessidade de troca de experiências e valorização dos saberes docentes na formação continuada, contemplando-se, assim, os aspectos essenciais que definem a formação crítico-reflexiva.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Reexame do Parecer CNE/CEB nº 9/2012, que trata da implantação da Lei nº 11.738/2008, que institui o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da Educação Básica. Brasília, (DF), 2013.

CANÁRIO, R. Gestão da escola: Como elaborar o plano de formação? Instituto de Inovação Educacional: Lisboa, 1995.

CANDAU, V. M. Formação continuada de professores: tendências atuais. In: CANDAU, V. M. (org.). Magistério: construção cotidiana. Petrópolis: Vozes, 1997. p. 51-68.

CUNHA, M. I. Formação de professores: espaços e processos em tensão. In: GATTI, B. A. et. al. (org.) Por uma revolução no campo da formação de professores. 1. ed. São Paulo: Editora Unesp, 2015.

CUNHA, R. C. O. B.; OMETTO, C. B. C.; PRADO, G. V. T. Trabalho docente coletivo e coordenação pedagógica: entre a heterogeneidade do cotidiano e um projeto de formação de professores. Revista Educação. PUC-Campinas, Campinas, v. 18, n. 2, p. 171-179, maio/ago, 2013.

CUNHA, R. C. O. B.; PRADO, G. V. Formação centrada na escola, desenvolvimento pessoal e profissional de professores. Revista de Educação. PUC-Campinas, Campinas, n. 28, p. 101-111, jan./jun., 2010.

DINIZ-PEREIRA, J. E. Formação de professores, trabalho docente e suas repercussões na escola e na sala de aula. Educação & Linguagem, São Bernardo do Campo, n. 15, p. 82-98, jan./jun. 2007.

FRANCO, F. C.; PRADOS, R. M. História do ensino e discursos político-educacionais na educação de São Paulo. HISTEDBR On-line, Campinas, n. 60, p. 215-229, dez. 2014.

GAMA, M. E.; TERRAZZAN, E. Encontros e desencontros nos processos de formação continuada de professores em escolas públicas de educação básica. Formação Docente, Belo Horizonte, v. 4, n. 7, p. 126-140, jul./dez. 2012.

GARCIA, M. A Formação Contínua de professores no HTPC: alternativas entre as concepções instrumental e crítica. 2003. 100 f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2003.

GOUVEIA, A. B. et al. Condições de Trabalho docente, ensino de qualidade e custo-aluno-ano. RBPAE, v. 22, n. 2, p. 253-276, jul./dez. 2006.

IMBERNÓN, F. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed, 2006b. 120 p.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

IMBERNÓN, F. Um Nueva Formación Permanente Del Profesorado Para Un Nuevo Desarrollo Professional Y Colectivo, Revista Brasileira de Formação de Professores, v. 1, n. 1, p. 31-42, maio, 2009.

LOURENÇO, R. S. S. L. A Formação Continuada em Serviço de Professores e as Atividades do Horário de Trabalho Pedagógico Coletivo nas Escolas dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. 2014. 140 f. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar) - Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2014.

MARIN, A. J. “Educação continuada: introdução a uma análise de termos e concepções”. Cadernos Cedes, Campinas, v. 36, p. 3-20, 1995.

MENDES, C. C. T. HTPC: Hora de trabalho Perdido Coletivamente? 2008. 113 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, 2008.

MIZUKAMI, M. G. N. Escola e aprendizagem da docência: processos de investigação e formação. São Carlos: EdUFSCar, 2002. 203 p.

NÓVOA, A. Formação de professores e profissão docente. In: NÓVOA, A. Os Professores e a sua formação. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional, 1992, p. 15-34.

OLIVEIRA, N. A. R. A HTPC como espaço de formação: uma possibilidade. 2006. 128 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada ao Ensino de Línguas) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2006.

PIRACICABA. Decreto nº 8.136, de 28 de outubro de 1998. Dispõe sobre o Regimento Interno comum das escolas municipais de Piracicaba.

ROSSI, F.; HUNGER, D. A. C. F. A formação continuada sob análise do professor escolar. Editora UNESP, 2013.

SÃO PAULO. Decreto nº 21.833, de 28 de dezembro de 1983. Institui o Ciclo Básico no ensino de 1º grau das escolas estaduais. 1983.

SOUZA, G. R. Horas de Trabalho Pedagógico Coletivo (HTPCs): espaços de formação contínua e de produção de saberes docentes?. 2013. 411 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2013.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 13. ed. 2012. 325 p.

ZEICHNER, K. M. Uma análise crítica sobre a “reflexão” como conceito estruturante na formação docente. Educação e Sociedade. Campinas, v. 29, n. 103, p. 535-554, maio/ago. 2008.

Publicado
2020-08-28