O Entrefigurar-se da Palavra no Tempo

  • Vivian Carla Calixto dos Santos UNESP - Campus de Rio Claro - IB - Departamento de Educação
Palavras-chave: Linguagem, Narrativa, Tempo, Cartas

Resumo

Neste artigo serão trazidas reflexões que integram estudos realizados numa pesquisa de pós-graduação em educação, em desenvolvimento, na UNESP - Rio Claro. Serão enfocados, a partir de uma carta manuscrita há mais de um século, aspectos ligados à linguagem, em sua articulação com o tempo, segundo o pensamento de Agostinho, retomado por Paul Ricoeur e Jorge Larrosa. Em sua função narrativa, a linguagem nem sempre revela, mas, antes, sugere, insinua; em seu entrefigurar-se, a palavra amplia sentidos que não se ancoram em margens aparentes, mas que dão a conhecer uma terceira margem. Tais observações possibilitaram um diálogo entre o texto da carta e o texto ficcional “A terceira margem do rio”, de João Guimarães Rosa, que resultaram em considerações, também expostas neste trabalho.

Biografia do Autor

Vivian Carla Calixto dos Santos, UNESP - Campus de Rio Claro - IB - Departamento de Educação
Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação – UNESP – RIO CLARO – SP
Publicado
2009-08-07
Seção
Artigos