Ação Empresarial e Educação Pública no Brasil

Autores

  • Liliene Xavier Luz Universidade Estadual do Piauí (UESPI)

Palavras-chave:

Estado, Empresários, Política Educacional

Resumo

Este artigo apresenta as características da participação do empresariado brasileiro nas ações político-educacionais a partir das reformas dos anos de 1990. Nosso foco está centrado na tese de que houve mudanças nos processos de regulação social, dando lugar tanto à redefinição do papel do Estado como do setor privado, que ampliou seu universo associativo e seus espaços de atuação por meio da interlocução com o poder público. Um processo dinâmico que propiciou a ampliação da participação dos múltiplos atores na gestão e na oferta das políticas educacionais e, consequentemente contribuiu para a pluralização das formas de governar a educação pública. É dentro de um associativismo maior que o empresariado vem exercendo influência nas políticas educacionais por meio de suas organizações. Nesse universo, as relações entre o público e o privado na educação se tornaram mais complexas, pautada em uma racionalidade política em que o Estado pluraliza os meios de governar a educação sem deixar de agir como ator central.

Biografia do Autor

Liliene Xavier Luz, Universidade Estadual do Piauí (UESPI)

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (FE/UNICAMP) e professora da Universidade Estadual do Piauí (CCE/UESPI).

Downloads

Como Citar

LUZ, L. X. Ação Empresarial e Educação Pública no Brasil. Educação: Teoria e Prática, [S. l.], v. 19, n. 32, p. 89, 2009. Disponível em: https://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/educacao/article/view/2989. Acesso em: 24 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê